VAS detecta queda na infestação de aedes aegypti em Botucatu

Informações colhidas junto a Secretaria de Comunicação revelam que durante o último mês de junho, a Vigilância Ambiental em Saúde (VAS), vinculada ? Secretaria Municipal da Saúde, realizou em parceria com o Departamento de Parasitologia do Instituto de Biociências da Unesp de Botucatu um novo trabalho para identificar as áreas com infestação do mosquito transmissor da dengue (aedes aegypti) em Botucatu.

Na oportunidade foram distribuídas 185 ovitrampas na área urbana do Município. Elas são armadilhas artificiais adaptadas em vasos pretos de plantas com uma palheta de madeira imersa em água, na qual permite identificar a oviposição (postura de ovos) da fêmea do mosquito aedes.
O resultado mostrou que apenas 4% das armadilhas estavam com a presença de ovos do inseto transmissor. No mês de fevereiro de 2011 o resultado desta pesquisa apontou que 64% das armadilhas continham ovos, o que mostra queda na infestação de mosquitos da dengue.

A Vigilância Ambiental argumenta que alguns fatores contribuíram para a redução do índice de infestação do mosquito transmissor da dengue: a intensificação das atividades de controle do mosquito realizadas pela VAS e as baixas temperaturas desta época acompanhadas pela diminuição das chuvas. “Em algumas regiões do Estado de São Paulo, mesmo nesta época ainda está ocorrendo a transmissão da doença”, compara Gabriella Koppány González, coordenadora da VAS.

Apesar da queda na infestação do mosquito, a VAS orienta a população a continuar atenta no combate ao aedes aegypti. “Apesar de não poderem ser removidos ou eliminados facilmente, alguns recipientes, nas suas bordas e laterais, devem ser constantemente lavados com bucha, pois é lá que ficam os ovos do mosquito durante o período de estiagem. Bastam chegar as chuvas para que os ovos eclodam e as larvas se transformem em novos mosquitos potenciais transmissores da dengue”, explica.

Em 2011, até o momento, a VAS atendeu 170 notificações de casos suspeitos de dengue: 15 casos positivos importados, dez casos positivos autóctones, 142 negativos e três aguardam resultado ambulatorial.

A Vigilância Epidemiológica em Botucatu esclarece ainda que se a pessoa apresentar sintomas da dengue (febre alta, enjoos, vômitos, dor de cabeça, no fundo dos olhos, nos músculos e nas articulações), ela deve evitar a automedicação e procurar qualquer unidade de saúde do Município para fazer o teste de sorologia, que pode ser feito apenas a partir do sexto dia de apresentação dos sintomas.