Terapeuta se especializa em constelação familiar

Mário Godinho Santana Júnior, terapeuta com formação em psicanálise, traz para Botucatu o curso de constelação familiar que reconstrói a árvore genealógica da pessoa permitindo localizar e remover bloqueios do fluxo amoroso de qualquer geração ou membro da família. 

O curso atinge a qualquer indivíduo que esteja disposto a buscar respostas dentro de seus padrões sócio-familiares da fase adolescente até a adulta e acontece na Clínica Trombini e Sartori, às sextas-feiras a partir das 18 horas e aos sábados a partir das 8 horas, na Rua Manoel da Silva, nº 280, na Vila Carmelo.

O especialista que tem um programa diário na Radio Mundial em São Paulo e uma série de vídeos sobre o assunto ressalta que muitas das dificuldades pessoais, assim como problemas de relacionamentos, são resultados de confusões nos sistemas familiares.

“Estas confusões ocorrem quando incorporamos em nossa vida o destino de outra pessoa viva ou que já viveu no passado, de nossa própria família sem estarmos conscientes disto e sem querer. Isto nos faz repetir o destino dos membros familiares que foram excluídos, esquecidos ou não reconhecidos no lugar que pertencia a eles”, explica Mário Júnior.

Ele realça que para identificar esta dinâmica é preciso montar um grupo onde os representantes ocupam lugar dos familiares da pessoa a ser  constelada. “Ficamos impressionados quando percebemos que os representantes sentem, falam e apresentam sintomas iguais aos membros da família daquela pessoa, embora não o conheçam e sem nenhuma informação prévia”, coloca o especialista.

Para este fenômeno, prossegue Mário Junior, não existe uma explicação científica que é chamada de técnica de fenomenológica  enfatizando que o que acontece naquele campo interfere e altera o campo familiar  ultrapassando espaço e tempo indo além desta dimensão tridimensional.

“Quando trabalhamos nesta dimensão percebemos além do que é visível, vamos além dos sentimentos menores que a relação familiar pode conhecer no limite das relações pessoais. Vamos para um universo mágico e infinito, onde as almas familiares se encontram, testemunhando um amor inigualável, um fluxo amoroso que faz desbloquear sintomas e dificuldades. Ali, diante de nós, aparece uma realidade que não estávamos vendo nem percebendo;  e sentimos uma nova possibilidade de vida, pela união entre as almas, pelo amor que une”, coloca Mário Júnior.

Ele também adianta que na constelação familiar podem-se trabalhar problemas de saúde (sintomas físicos), perdas e/ou luto, comportamentos, relações com trabalho, dinheiro, dificuldades de relacionamentos  e dependências; enfim, qualquer situação que a pessoa perceba como um limite de vida.

“Depois de definida a questão a ser trabalhada, é função de o terapeuta perceber a dinâmica daquela família (o que está escondido e precisa ser revelado) e ordenar àquele sistema. Na maioria das vezes, o processo conduz a uma nova ordenação do sistema, que indica o lugar mais libertador de cada membro familiar e faz surgir na pessoa que foi trabalhada um profundo sentido de respeito, sem julgamento entre bom e mau, onde vítimas e perpetradores se encontram num resgate profundo”, diz o especialista.