Situação da Misericórdia Botucatuense está indefinida

Fotos: Valéria Cuter

A Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp) ainda não assumiu a gestão da Santa Casa de Misericórdia Botucatuense que vem se arrastando há vários meses. Em abril em reunião do Conselho Administrativo da fundação foi aprovada a autorização para que seja celebrado um contrato em caráter emergencial com o hospital pelo período de seis meses.

O início dos trabalhos estava previsto para o início de junho deste ano, mas a situação continua inalterada, ou seja, a Misericórdia está atendendo apenas pacientes da Unimed. Se uma pessoa quiser ser internada não consegue vaga.

De acordo com o diretor-presidente da Famesp, Pasqual Barretti (foto), o modelo que está sendo construído prevê que, nos primeiros seis meses, a fundação e a santa casa trabalhem em parceria. Nessa condição, serão indicados para conduzir as atividades do serviço um profissional ligado a assistência e outro da área de gestão hospitalar.

A Famesp ainda constituirá um grupo de trabalho que ficará responsável por atividades como: compras, contabilidade, recursos humanos, entre outras, com o objetivo de acompanhar a gestão do hospital, além de propor e implementar medidas para melhorar o desempenho financeiro da unidade. “Existe uma possibilidade concreta de a Famesp assumir totalmente a gestão da Misericórdia”, garante Barretti