Serviço de Óbito do HC terá verba de R$ 4 milhões

O governo de São Paulo, através da Secretaria Estadual de Saúde, vai destinar ao Serviço de Verificação de Óbito (SVO) do Hospital das Clínicas (HC) de Botucatu, uma verba de R$ 4 milhões para ser aplicado na construção de um prédio próprio que tenha capacidade e seja adequado para atender a toda região, 24 horas por dia. A confirmação foi feita pelo próprio Superintendente do HC, professor Emílio Curcelli (foto).

O dinheiro foi conseguido através de uma intermediação feita na Assembleia Legislativa pelo deputado Fernando Capez (PSDB), que ficou sabendo das necessidades do SVO em uma reunião com o Superintendente do HC; presidente da Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp), Pasqual Barretti; e o presidente do Fundo Social dos Servidores (FUSS) de Botucatu, Rubens de Almeida, o Alemão.

O projeto da construção do prédio próprio do SVO estava engavetado na Assembleia Legislativa há vários anos. O terreno onde o prédio será construído já foi doado pela Famesp e fica em área próxima do HC.

Atualmente, como o SVO não trabalha 24 horas ininterruptas existe demora na entrega de corpos para serem velados que chegam durante a noite após as 21 horas e só passam pela necropsia no dia seguinte. Com o novo prédio em operacionalidade 24 horas por dia e a contratação de novos profissionais da área esse problema deverá ser sanado. Em 2013, o SVO realizou 444 necropsias, com média de 37 procedimentos ao mês. Destes, 49 deram entrada no serviço entre 21h40 e 8 horas.

O SVO é um serviço de avaliação da causa da morte desconhecida ou duvidosa, com o objetivo de fornecer elucidação diagnóstica e informações complementares para o serviço de epidemiologia e políticas de saúde pública em geral, pois pode colocar em evidência os possíveis riscos a saúde que estão em emergência, tanto os já conhecidos quanto os que não são comuns, ou ainda casos de uma doença nova em um determinado local.