Saúde Pública da FMB desenvolve projeto de nutrição

Projeto de Extensão denominado “Nutrição nas Doenças Crônicas da Teoria ? Prática”, coordenado pela professora Kátia Cristina Portero McLellan, do Departamento de Saúde Pública da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), encerrou suas atividades no dia 12 de dezembro. O objetivo da iniciativa, implementada pela nutricionista Estela Maria Barim, foi trabalhar o papel da nutrição na prevenção e sensibilização do autocuidado nas doenças crônicas com os funcionários do Centro de Saúde Escola (CSE) – Unidade Auxiliar da Unesp – na Vila dos Lavradores, local onde foi desenvolvido o projeto.

Ao todo foram realizados nove encontros, entre os meses de agosto e dezembro, com apresentações de palestras e discussões nas quais houve participação de alunos do curso de graduação em Nutrição (do Instituto de Biociências de Botucatu/Unesp) e alunos de cursos de pós-graduação (Programa de pós-graduação em Saúde Pública, Programa de Aprimoramento Profissional em Nutrição Clínica, Nutrição em Saúde Pública e Programa de Treinamento em Serviço – PRAT). Além desses, também participaram dos encontros as nutricionistas do CSE, Estela Maria Barim e Maria Teresa Valente.

“Em minha opinião o curso acrescentou muito, tanto na vida pessoal e familiar quanto na profissional. Ficou mais fácil fazer orientações aos pacientes e até a convencê-los a fazer o tratamento correto e a participar dos grupos da nutrição. É mais fácil o convencimento quando conhecemos o trabalho”, afirmou um dos participantes da iniciativa. “O curso me sensibilizou para o autocuidado. Agora fiquei mais atenta ao consumo de açúcar, alimentos gordurosos e a prática de exercícios físicos”, complementou uma funcionária do CSE.

Após cada encontro uma preparação saudável relacionada ao tema trabalhado era servida com a finalidade de incentivar a introdução de novos alimentos e suas técnicas de preparo para o dia a dia dos quinze participantes (funcionários do CSE) do projeto. Os autores dos depoimentos acima não são identificados por serem sujeitos da pesquisa. A garantia do anonimato está de acordo com as regras do Comitê de Ética em Pesquisa

Da Assessoria