Saúde anuncia mudanças no calendário de vacinação

Fotos: Divulgação

Tratam-se de mudanças rotineiras motivadas pela alteração da situação epidemiológica e por atualização na indicação das vacinas e para quem já tomou alguma das doses, é só seguir o esquema novo a partir de agora

 

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (5), mudanças no Calendário Nacional de Vacinação que alteram o esquema vacinal contra HPV, pólio, meningite e pneumonia. Isso vale para todos os municípios brasileiros e as secretarias de Saúde municipais deverão se adequar e se alinhar a esta nova sistemática.

Segundo o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Antônio Nardi, tratam-se de mudanças rotineiras motivadas pela alteração da situação epidemiológica e por atualização na indicação das vacinas. Para quem já tomou alguma das doses, é só seguir o esquema novo a partir de agora. No caso da polio, quem tomou a 3ª dose por gotinha, não precisa tomar a injetável.

A vacina de HPV antes era aplicada em três doses. As duas primeiras doses eram aplicadas em meninas de 9 a 13 anos com intervalo de seis meses; a terceira dose era aplicada 5 anos depois. Agora, são apenas duas doses com intervalo de 6 meses para meninas de 9 a 13 anos. Segundo o Ministério da Saúde, estudos mostraram que o esquema de duas doses tem resposta de anticorpos similar ao esquema de três doses.

No caso da poliomielite, antes, a imunização era aplicada em três doses: a vacina injetável (VIP) aos 2 e 4 meses de idade e a vacina oral (VOP, também conhecida como "gotinha") aos 6 meses. Duas doses de reforço estavam previstas aos 15 meses e aos 4 anos, ambas com a vacina oral. O que mudou agora é que a terceira dose da vacina passa a ser injetável, em vez de oral. A versão oral da vacina continua sendo indicada para os reforços aos 15 meses e 4 anos.

Já a vacina pneumocócica 10 valente, contra pneumonia, era aplicada em três doses – aos 2, 4 e 6 meses de idade – mais um reforço entre 12 e 15 meses. Agora, a indicação são duas doses – aos 2 e 4 meses – mais um reforço preferencialmente aos 12 meses. Segundo o Ministério da Saúde, estudos mostram que a efetividade do novo esquema é similar ao do esquema anterior.

A vacina meningocócica C, contra a meningite provocada pela bactéria minigococo C, era aplicada em duas doses, aos 3 e 5 meses de idade, com reforço aos 15 meses. Agora, o reforço passa a ser indicado para os 12 meses de idade. As duas primeiras doses continuam indicadas para os 3 e 5 meses.

Veja o que muda para cada tipo de vacina

HPV
Como era: 2 doses para meninas de 9 a 13 anos com intervalo de 6 meses; 3ª dose 5 anos depois.
Como fica: 2 doses com intervalo de 6 meses para meninas de 9 a 13 anos.

Poliomielite
Como era: injeção aos 2 e 4 meses e gotinha aos 6 meses. 2 doses de reforço aos 15 meses e aos 4 anos (ambas de gotinha).
Como fica: muda somente que a 3ª dose passa ser a injetável.

Pneumonia
Como era: 3 doses  (2, 4 e 6 meses de idade) e reforço entre 12 e 15 meses.
Como fica: 2 doses – aos 2 e 4 meses e um reforço aos 12 meses.

Meningite
Como era: 2 doses, aos 3 e 5 meses de idade, com reforço aos 15 meses.
Como fica:2 doses, aos 3 e 5 meses de idade, com reforço aos 12 meses.

Fonte: G1