Samu passa de 150 mil ligações em Botucatu e região

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), regional de Botucatu (inclui também os municípios de Pardinho, Areiópolis e Anhembi) promoveu no salão nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu da Universidade Estadual Paulista (Unesp), a segunda edição do simpósio para qualificação dos profissionais da Rede de Urgência e Emergência (RUE). 

O evento contou com a participação de 200 pessoas entre médicos, enfermeiros, socorristas e estudantes, que puderam acompanhar palestras de profissionais importantes como o David Szpilman, presidente da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa); Antônio Onimaru, consultor técnico da Coordenação Geral de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde; Ricardo Galesso, médico do Grupo de Resgate e Atendimento às Urgências (GRAU-SP); entre outros. 

O simpósio também foi uma forma de celebrar os 4 anos de atividades do Samu em Botucatu e região, que abrange uma população de quase 200 mil habitantes. De acordo com a Enfermeira Priscila Masquetto Viera de Almeida, coordenadora geral da regional Botucatu, de julho de 2011 até agora, o serviço atendeu a mais de 150 mil ligações pelo telefone gratuito 192, além de ter enviado ambulâncias a cerca de 30,9 mil casos.

“O Samu é o componente móvel dessa Rede de Urgência e Emergência. Ele tem o papel de articular o fluxo com as unidades pré-hospitalares, da Atenção Básica, salas de estabilizações e rede hospitalar. Faça chuva ou sol, desde um caso mais simples até um caso mais complexo que envolva risco de morte de uma pessoa, nossa equipe está preparada para realizar um serviço de excelência à população. Um simpósio como este é mais um componente para capacitar, atualizar e integrar os profissionais que trabalham na Rede de Urgência e Emergência de Botucatu e região”, afirma. 

Ela realça que a ambulância deve se acionada em casos de: problemas cardiorrespiratórios graves, dor aguda no peito, convulsão, acidentes ou agressão com armas “brancas” ou de fogo, suspeita de derrame (AVC): alteração na fala ou na face e falta de força nos braços, intoxicação, queimaduras graves, crises hipertensivas, afogamentos, choque elétrico, desmaios, acidentes com traumas graves, trabalho de parto onde há risco de morte da mãe/feto ou quaisquer outros casos de ameaça à vida.