“Projeto Recomeço” para dependentes completa um ano

Fotos: Valéria Cuter – arquivo

 

Nesta sexta-feira (03), a Clínica Sarad (Serviço de Atenção de Referência em Álcool/Drogas) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) – Programa Recomeço, irá realizar um cerimonial para comemorar o primeiro ano de atividades do complexo, instalado ao lado do Centro de Atenção Integrada de Saúde (Cais), do Hospital Professor Cantídio de Moura Campos, no Jardim Aeroporto.

Com a previsão da presença de várias autoridades, durante a solenidade haverá mostra de artes plásticas desenvolvida pelos pacientes ao longo do ano por meio de oficinas terapêuticas de poéticas visuais em parceria com a Secretaria de Cultura de Botucatu, ministrada pelo arte-educador Everton Oliveira.

O coordenador da Rede de Políticas sobre Drogas do Estado de São Paulo, Mário Sérgio Sobrinho enfatiza que o Programa no qual o Sarad de Botucatu está inserido, envolve programas, ações de prevenção, tratamento, reinserção social, acesso à justiça e de redução de vulnerabilidade social e de saúde, a dependentes químicos e seus familiares em suas áreas de atuação que possibilitam meios para que os dependentes químicos, as famílias e a sociedade recebam ajuda, orientação e apoio.

 “A Rede Paulista de Políticas sobre Drogas é uma iniciativa que, depois de algumas ações, percebeu a importância que o gestor público tem para articular, implementar e efetivamente realizar ações de políticas de drogas e, mais do que isso, proporcionar mecanismos de ações concretas para que a questão da drogadição seja enfrentada”, explicou Sobrinho.

Ele realça que o nome Rede Paulista de Políticas sobre Drogas já mostra que não é possível pensar dependência química e imaginar que alguém ou alguma organização isoladamente vai conseguir caminhar nessa trilha. “Todos temos que trabalhar com muita sintonia, cada qual com suas particularidades.  É muito útil que os municípios tenham programa de enfrentamento às drogas”, apontou.

O Centro de Recuperação de Dependentes Químicos inaugurado em dezembro do ano passado tem capacidade para 76 pessoas (42 homens, 20 mulheres e 14 adolescentes) em regime de internação completa, existindo rotatividade, pois a média de internação é de 15 dias. Porém,  quando deixa a clinica o paciente continua sendo acompanhado para a reabilitação e ressocialização.

A psicóloga e diretora da unidade, Janice de Lurdes Megid, ressalta que o atendimento é feito gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), com leitos nos regimes ambulatorial, de internação e reabilitação, sendo 10 para desintoxicação, 18 adolescentes, 18 mulheres e 30 homens, separados por pavilhões distintos.

“Além do atendimento médico, a clínica busca parcerias com escolas profissionalizantes como o Senai, Sesi, Sebrae, Sebrac, assim como a Secretaria de Esportes, Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (palestras), entre outras”, destacou a diretora.

Os internos ainda contam com áreas de esporte e lazer, com quadra coberta e piscina e espaços (salas) reservados para atividades de cultura, espiritualidade, educação e qualificação profissional aos pacientes e familiares. A unidade em Botucatu, primeira do gênero no Estado de São Paulo, é composta por uma equipe de médicos, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros e técnicos de enfermagem, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas, terapeutas ocupacionais, equipes de vigilância, recepção, educadores físicos, entre outros, além de profissionais de empresas terceirizadas.