Programa “De Bem com a Vida” entra na 2ª etapa

A Prefeitura de Botucatu, através da Secretaria de Administração, em parceria com Associação dos Trabalhadores e Funcionários Públicos Municipais de Botucatu (ATFPMB), iniciou a segunda etapa do De Bem com a Vida.

A primeira etapa do programa foi lançada em abril de 2013 e atendeu cerca de 200 servidores da Garagem Municipal – Secretaria Municipal de Obras. Nesta segunda etapa, o programa atenderá servidores que trabalham no Paço Municipal, Departamento Pessoal, Câmara Municipal, Biblioteca Municipal e nas sedes das secretarias de Educação e Assistência Social.

O De Bem com a Vida é direcionado exclusivamente ? saúde dos servidores públicos municipais da Prefeitura de Botucatu, que conta com mais de 2.200 funcionários. A iniciativa busca diagnosticar precocemente doenças crônicas como hipertensão e diabetes, além de outras disfunções que prejudicam o aparelho circulatório, e que juntas são responsáveis por um altíssimo índice de mortes no País e no mundo.

Pelo programa são ofertados aos servidores públicos municipais exames que apontarão os níveis de colesterol, glicose, triglicerídeos e plaquetas sanguíneas. A coleta de sangue é feita no próprio local de trabalho do servidor, que é avisado previamente para que faça o exame em jejum.

Qualquer alteração nos valores destes exames será avaliada por um médico da Prefeitura que indicará o melhor tratamento para o caso, inclusive com acompanhamento de um profissional da área de nutrição disponibilizado pela ATFPMB.

“O foco deve estar sempre na prevenção. Funcionários saudáveis, com qualidade de vida melhor, enxergam as coisas de forma mais positiva e isso reflete diretamente no trabalho dele, que é de prestar um bom serviço ? população. É um ciclo virtuoso”, garante o secretário municipal de Administração Ricardo Salaro.

Segundo Cristiane Augusto Silva, assistente social da ATFPMB, cerca de 30% de servidores da Garagem Municipal que passaram pela primeira etapa do De Bem coma Vida, ao longo do ano passado, desconheciam a real condição de saúde que mantinham. “Muitos agora incorporaram a atividade física na sua rotina, melhoraram a alimentação, emagreceram, o que também ajudou na autoestima deles”, garante.