Prefeitura se manifesta sobre morte de criança com meningite

No último domingo (3), Botucatu registrou um caso de meningite meningocócica com evolução para óbito em uma criança de 8 anos, no Hospital Misericórdia, que é administrado pela Associação Misericórdia Botucatuense. A Secretaria Municipal de Saúde foi comunicada por telefone pelo hospital notificador ? s 8 horas da segunda-feira (04).

Imediatamente, a Vigilância Epidemiológica da Secretaria iniciou as medidas preventivas necessárias, que constou de identificação da família; da escola; da sala de aula; dos colegas, professores, outros familiares e amigos.

No mesmo dia, ? s 17 horas, foi realizada uma reunião na escola com os pais de alunos da sala de aula frequentada pela criança e professores para orientações, prescrição e distribuição do medicamento com finalidade profilática.

A ação foi focada na sala de aula em que a criança estudava, pois segundo o Ministério da Saúde são considerados “contatos íntimos” e com indicação de profilaxia as pessoas que conviveram com a criança por quatro horas diárias durante sete dias ou mais de oito horas consecutivas em, pelo menos, um dos últimos sete dias que antecederam a internação do paciente, bem como todos que moram com o paciente no mesmo domicílio.
Os pais foram orientados a ficarem vigilantes sobre os sintomas que por ventura possam aparecer nos seus filhos e imediatamente procurarem os serviços de saúde.

Os casos de meningite ocorrem de forma isolada e esporádica. Em Botucatu, nos últimos cinco anos, ocorreram 144 casos confirmados com três óbitos, sendo em média 28 casos por ano e percentual de 2,08% de óbitos.
A Secretaria de Saúde mantém em vigilância constante todos os casos de doenças infectocontagiosas e lamenta profundamente a fatalidade do ocorrido com esta criança e sua família.

{n}Sobre a meningite{/n}

A meningite é uma doença que consiste na inflamação das meninges – membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Ela pode ser causada, principalmente, por vírus ou bactérias.

O quadro das meningites virais é mais leve e seus sintomas se assemelham aos da gripe e resfriados. Entretanto, a bacteriana – causada principalmente pelos meningococos, pneumococos ou hemófilos – é altamente contagiosa e geralmente grave, sendo a doença meningocócica a mais séria.

Ela, causada pela Neisseria meningitidis, pode gerar inflamação nas meninges e, também, infecção generalizada (meningococcemia). O ser humano é o único hospedeiro natural desta bactéria cujas sequelas podem ser variadas: desde dificuldades no aprendizado até paralisia cerebral, passando por problemas como surdez.

A transmissão se dá pelo contato da saliva ou gotículas de saliva da pessoa doente com os órgãos respiratórios de um indivíduo saudável, levando a bactéria para o sistema circulatório aproximadamente cinco dias após o contágio.

Os sintomas são: febre alta, fortes dores de cabeça, vômitos em jato, rigidez no pescoço, moleza, irritação, fraqueza e manchas vermelhas na pele (que são inicialmente semelhantes a picadas de mosquitos, mas rapidamente aumentam de número e de tamanho, sendo indício de que há uma grande quantidade de bactérias circulando pelo sangue).

A doença meningocócica tem início repentino e evolução rápida, podendo levar ao óbito em menos de 24 a 48 horas.