Prefeitura quer fazer contrato emergencial de médicos

A dificuldade na contratação de médicos para atuarem na rede pública de saúde é um problema crônico no Brasil. As prefeituras da maioria dos municípios convivem com essa situação que compromete a qualidade do atendimento e gera uma série de dificuldades e transtornos à população. 

Em Botucatu, a Secretaria Municipal de Saúde também enfrenta dificuldades para reforçar seu quadro de médicos. Recentemente, dois concursos públicos foram abertos com essa finalidade mas acabaram frustrados pela falta de candidatos ao preenchimento das vagas. 

Desta forma, o caminho encontrado para resolver o problema será a abertura de processo licitatório para contratação de uma empresa especializada em serviços médicos que ficará responsável por fornecer os profissionais que atuarão nas unidades que necessitam de reforço no atendimento. A decisão foi tomada em reunião na tarde de quarta-feira (16) entre o prefeito João Cury Neto e o secretário municipal de Saúde, Cláudio Lucas Miranda (foto). 

“Em breve um novo concurso público será aberto, mas a dificuldade em encontrar candidatos nos obriga a buscar outras alternativas para agilizar as contratações. Após uma série de estudos, decidimos optar por uma licitação que nos permita contar com uma empresa que nos forneça os médicos”, explica Miranda. 

A prioridade, neste momento, é pela contratação de um total de 160 horas semanais. Desta maneira a Prefeitura destinará um clínico (20 horas) para a unidade de saúde do Jardim Cristina, um clínico (20 horas) para a unidade da Vila Jardim, um ginecologista (20 horas) para a unidade da Vila São Lúcio, um pediatra (20 horas) para a unidade da Cohab I, um clínico (40 horas) para a unidade da Cohab 1, um pediatra (20 horas) para o CSI e um clínico (20 horas) para a unidade da Cecap.

Assim que a licitação for aberta, a Prefeitura estará autorizada a proceder a contratação emergencial de médicos para suprir as situações consideradas prioritárias. De acordo com a Secretaria de Saúde, a prioridade é buscar dois clínicos para atender as unidades do Jardim Cristina e da Cohab I. 

Em dezembro de 2008, a Prefeitura de Botucatu contava com 36 médicos. Nos últimos cinco anos, a quantidade de profissionais contratados dobrou. Hoje são 72 médicos para atender as unidades de saúde e o SAMU. “E estamos trabalhando para reforçar ainda mais o quadro”, ressalta Miranda.