Mosquito da dengue deixa Botucatu em estado de alerta

Através da Secretaria de Comunicação, a Vigilância Ambiental em Saúde (VAS), vinculada ? Secretaria Municipal de Saúde, informa a municipalidade que os primeiros quatro casos positivos autóctones (com origem no Município) e mais um caso positivo importado de dengue foram confirmados em Botucatu.

Até este início de abril foram atendidas 71 notificações de casos suspeitos de dengue. São três casos positivos importados, quatro positivos autóctones, 45 casos descartados e outros 19 aguardam resultados laboratoriais. Dos casos positivos autóctones, dois são da região do Lavapés (setor Sul), um do Jardim Itamaraty (setor Norte) e outro do Jardim Bandeirantes (setor Leste).

Os agentes de saúde pública têm realizado ações de redução de criadouros e busca ativa de novos casos suspeitos nestas regiões, mas a VAS esclarece também que critérios estão sendo estabelecidos antes de executar qualquer atividade de nebulização, uma vez que seu uso indiscriminado faz com que os mosquitos criem resistência ao inseticida.

A Vigilância Ambiental têm encontrado, em suas visitas, muitos recipientes com água parada e larvas do mosquito transmissor. No último levantamento feito em fevereiro pela VAS, em parceria com o Departamento de Parasitologia do Instituto de Biociências da Unesp de Botucatu, foi registrado que das 185 ovitrampas (armadilhas artificiais adaptadas em vasos pretos de plantas com uma palheta de madeira imersa em água) 64% delas continham ovos do inseto transmissor.

Em janeiro, na Avaliação de Densidade Larvária (Índice de Breteau), detectou-se que para cada cem imóveis visitados pelos agentes de saúde, em 2,7 imóveis encontravam-se larvas do mosquito. O resultado preconizado como satisfatório pela Organização Mundial de Saúde é inferior a 1.0.

Isso coloca Botucatu em situação de alerta, principalmente em determinadas regiões da Cidade que apresentaram, na oportunidade, índices ainda mais altos de infestação do inseto. Foi o caso do setor Leste que registrou índice de 4,7 e do setor Central/Oeste, com percentual de 5,3.

{n}Orientações{/n}

A Vigilância Ambiental recomenda também aos moradores que lavem os recipientes expostos ? chuva com bucha, água e sabão. Mesmo em tempos de estiagem, os ovos do aedes aegypti podem permanecer nas bordas e laterais destes objetos até eclodirem, surgindo assim novos mosquitos potenciais transmissores da dengue.

As pessoas que apresentarem sintomas sugestivos de dengue como febre alta, dor de cabeça, dores nas articulações e nos músculos, vômitos e enjoos, devem procurar uma Unidade de Saúde para avaliação médica, evitando, assim, a automedicação.

A Vigilância Epidemiológica em Botucatu informa ainda que o teste de sorologia para o diagnóstico de dengue pode ser feito apenas a partir do sexto dia de apresentação dos sintomas.