IB tem participação no Globo Repórter desta sexta-feira

Nesta sexta-feira (28), o Instituto de Biociências (IB) da Unesp, campus de Botucatu, estará no programa Globo Repórter, da Rede Globo (foto). O programa vai ao ar depois de novela Passione, de Silvio de Abreu.

O programa, que abordará o poder da Medicina Natural, apresentará a pesquisa “Potencial terapêutico dos óleos essenciais da flora brasileira”, desenvolvida no Laboratório de Produtos Naturais, do Departamento de Fisiologia, e realizada pelas professoras Clélia Akiko Hiruma Lima, Lúcia Regina Machado da Rocha, pelo biomédico doutorando em Farmacologia, Thiago de Mello Moraes, e pela estudante de Nutrição, Celi Macedo Polo.

Segundo Hiruma, o projeto pesquisa a utilização do óleo essencial da laranja da terra (Citrus aurantium), bastante utilizada popularmente no combate de artrites, inflamações e gastrites. “Apesar do chá das cascas ser a forma de utilização popular, optamos por trabalhar com o óleo essencial das cascas da laranja. Como este produto é muito utilizado na indústria alimentícia, perfumaria e cosmético, vários estudos já foram realizados quanto ao efeito tóxico do óleo, que se mostrou ausente até o momento”, conta Hiruma.

Os estudos pré-clinicos realizados no laboratório, com ratos e camundongos, mostraram que o óleo essencial da laranja da terra apresenta um efeito protetor do estômago contra agentes lesivos da mucosa, como as drogas antiinflamatórias.

O óleo também previne as lesões causadas pelo suco gástrico ácido e pelo etanol. “Além disso, constatamos que para o estômago com lesão profunda, o óleo é capaz de promover uma excelente cicatrização deste tecido”, explica Hiruma.

De acordo com a pesquisa, isso ocorre porque o óleo da laranja ativa os fatores protetores da mucosa gástrica e favorece a regeneração do tecido. Desde 2001, o Laboratório de Produtos Naturais do IB pesquisa as potencialidades da flora para fins terapêuticos. O projeto é financiado pela Fundação de Amparo ? Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Fonte:
Suelyn da Luz
Assessoria de Comunicação e Imprensa
Instituto de Biociências (IB) Unesp Botucatu