Iamspe e Unesp ampliam atendimento aos servidores

A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e o Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público) assinaram, na tarde desta sexta-feira, 6 de julho, um aditivo de contrato que aumenta em 20% os recursos destinados ao atendimento de servidores no Hospital das Clínicas da FMB, em Botucatu. Além dos R$ 330 mil mensais, serão repassados mais R$ 60 mil, o que representa R$ 720 mil a mais por ano.

Com o incremento, será possível ampliar o teto de atendimentos e minimizar filas de espera, principalmente por exames de imagem. A partir de agora, diagnósticos por meio de ressonância, ultrassom e tomografia poderão ser realizados, também, na Santa Casa de Misericórdia, que será parceira do HCFMB. A articulação para que fosse viabilizado esse aumento no valor repassado ? FMB foi feita pela Prefeitura de Botucatu, onde ocorreu a assinatura do termo aditivo.

“O servidor público de Botucatu e região vai ser beneficiado com esse aditivo. Haverá mais possibilidade de ele ser bem atendido”, avaliou Arnaldo Giorgis Filho, diretor técnico de Divisão de Saúde do DECAM (Departamento de Convênios e Assistência Médica) do Iamspe.

A diretora da FMB, professora Silvana Artioli Schellini, lembrou que há uma demanda por consultas que está reprimida. O tempo de espera, em alguns casos, chega a até um ano. “Mas agora nossos usuários serão significativamente beneficiados. Esse é um pleito antigo. Ficamos muito satisfeitos com a notícia no aumento dos investimentos pelo Iamspe. Temos consciência da quantidade de usuários e da necessidade de ampliação”, declarou.

“Nos sentimos bastante felizes com essa parceria. Há tempos que lutamos por isso. Agora, efetivamente, estamos conseguindo. Um orgulho poder atender essa demanda do Iamspe através do Hospital das Clínicas, observou Valter Castilho, diretor da Santa Casa de Misericórdia.

José Carlos Souza Trindade Filho, responsável pela política de convênios do Hospital das Clínicas, disse que, com o incremento de 20% na verba mensal, será possível trabalhar pela redução da fila de espera por exames, especialmente os de imagem, como ultrassom, tomografia e principalmente ressonância.

“Vamos nos organizar para ampliar o atendimento. A idade média no nosso público é alta, então os usuários têm necessidade de consultas com cardiologista, clínico geral, endocrinologista e dermatologista, por exemplo. Vamos poder aumentar a oferta de exames e assim poderemos agilizar o atendimento de uma maneira geral”, frisou.