HC se manifesta sobre morte de jovem por meningite

A superintendência do Hospital das Clínicas de Botucatu, em nota oficial, se manifestou publicamente nessa sexta-feira (4) sobre a morte do jovem Alexsander Felipe Silva (foto), de 17 anos de idade, que morreu na madrugada do último dia 8 de setembro, depois de passar mais de 14 horas no Pronto Socorro Regional.

O caso gerou revolta entre familiares e amigos já que o laudo da morte atesta que Alexsander morreu de meningite meningocócica que só foi anunciada 48 horas depois que o rapaz morreu. A mãe desse rapaz, Marilza de Fátima Silva, alega que ele deu entrada no Pronto Socorro Regional que é gerido pelo Hospital das Clínicas (HC) de Botucatu na noite de sábado (7), por volta das 20 horas, com dores pelo corpo, calafrios e dores nas articulações e nos braços. O diagnóstico médico atestou que ele tinha uma intoxicação alimentar. Recebeu soro e teve alta médica saindo do local sem nenhum receituário.

Marilza Silva lembra que durante a madrugada de domingo (8) a situação do filho se agravou e ele passou a noite inteira reclamando de dores. A família retornou com ele ao Pronto Socorro pela manhã, ? s 8 horas, permanecendo o dia inteiro em um colchão de lona aguardando uma vaga para ser internado no HC. Durante esse período outros diagnósticos foram dados ? família sobre o estado de saúde do garoto: baixo índice de plaquetas e complicações nos rins, câncer de pâncreas, leptospirose e, por fim, dengue hemorrágica. Por volta das 23h50 o garoto piorou e foi levado, emergencialmente, a uma sala e morreu durante a madrugada de segunda feira ? s 03 horas.

Ela enfatiza que sua surpresa foi maior ainda quando na sexta-feira (13) uma equipe da Saúde de Botucatu esteve em sua casa informando que a causa da morte tinha sido por meningite meningocócica e a demora para fazer o diagnóstico poderia ter contagiado outras pessoas inclusive os atendentes do PS que estiveram com ele. “Até o caixão permaneceu aberto no velório porque ninguém sabia da meningite”, disse a mulher, na ocasião. Família, através do advogado Carlos Carmelo Torres, entrou com uma ação na Justiça contra o PS.

{n}Nota do HC{/n}

“A SHC, através de sua Diretoria de Assistência, informa o paciente Alexsander Felipe Silva foi atendido no PS Municipal de Botucatu no dia 07/09/13 ? s 18h44 com queixas de dor abdominal após almoço. Medicado, permaneceu em observação até ? s 20 horas do mesmo dia, quando, apresentando melhora de seu quadro clínico, foi liberado após orientações.

Paciente retornou ao PS Municipal no dia 08/09/13, sendo atendido ? s 9:16 hs com quadro de indisposição e diarréia. Permaneceu em observação no mesmo local, sendo coletados exames e medicado. Às 14h47 foi submetido a reavaliação médica e avaliação dos resultados dos exames laboratoriais que mostravam alterações compatíveis com processo infeccioso ainda não especificado. A partir da 1h30 do dia 09/09/13 passou a apresentar piora clínica importante, sendo medicado e monitorado pela equipe médica e de enfermagem de plantão na sala de emergência. Infelizmente mesmo após inúmeras tentativas de reversão de seu quadro clinico, paciente evoluiu para óbito ? s 3h40 da mesma noite.

Frente a rápida evolução clínica do caso e na ausência do diagnóstico definitivo, o corpo do paciente foi encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbitos, sendo identificado como causa de óbito insuficiência respiratória devido a síndrome febril hemorrágica. Posteriormente, exames colhidos durante a internação detectaram crescimento da bactéria Neisseria meningitidis grupo C em amostra de sangue do referido paciente.
A SHC lamenta o desfecho do caso e se solidariza com os familiares, colocando-se ? disposição para novos esclarecimentos.”