HC se adequa e absorve demanda do Hospital Sorocabana

Apesar do fechamento do Hospital Regional Sorocabana, de Botucatu, em julho deste ano, a população da região continua recebendo atendimento em todas as especialidades oferecidas pelo serviço que deixou de funcionar. Essa condição foi possível graças ao esforço e colaboração das equipes e ? readequação estrutural emergencial realizada no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (HCFMB).

O maior reflexo foi no volume de atendimentos da enfermaria de Obstetrícia, que utilizou quartos destinados a tratamentos especiais e aumentou 10 leitos para receber a demanda adicional. Após o fechamento de 21 leitos de obstetrícia e 20 de alojamento conjunto que estavam disponíveis no Hospital Sorocabana, as pacientes passaram a ser atendidas no HCFMB.

Em julho foram realizadas 302 internações, aumento de 66,54% consideradas as médias do 1º semestre de 2011. Foram realizados 284 partos o que representa crescimento de 63,2% em relação ao quantitativo habitual. O número de cirurgias obstétricas aumentou 51,5%. Apesar de todas essas medidas a taxa de ocupação da enfermaria de Obstetrícia se manteve em 92% durante o período.

Para tornar possível a manutenção da qualidade do atendimento, houve aumento do número de médicos obstetras nos plantões e remanejamento de funcionários de outras unidades do hospital para dar assistência de enfermagem ? s pacientes e recém-nascidos em todos os plantões. As cotas de materiais, enxovais e medicamentos foram ampliadas em 40% em relação ao consumo mensal.

Para o professor Roberto Araújo, chefe da enfermaria de Obstetrícia, pelo fato de os quartos daquela ala do hospital possuírem amplo espaço houve maior facilidade para promover as adaptações. Segundo ele, outro fator que contribuiu para que não houvesse prejuízo para os atendimentos ? população foi que com o fechamento do Hospital Sorocabana, muitos equipamentos que já eram do HCFMB, voltaram a fazer parte da estrutura da unidade. “Ainda temos que ampliar o quadro de funcionários, contratando mais médicos e enfermeiros e a Superintendência já sinalizou que existe a possibilidade de fazer isso provisoriamente”, colocou.

Fonte: Leandro Rocha
Assessoria de Comunicação e Imprensa