HC recebe ressonância magnética de última geração

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu deu um importante passo no desenvolvimento da unidade, com a aquisição de um novo aparelho de Ressonância Magnética de três Tesla da marca Siemens. O equipamento, de última geração, marca um momento histórico de desenvolvimento do HCFMB, que será uma das poucas unidades do Estado a contar com tal potência.

O investimento total para a aquisição do aparelho, importado da Alemanha, foi de pouco mais de R$ 3.4 milhões. Antes dele, o Hospital contava apenas com uma máquina de Ressonância Magnética de 0,5 Tesla. O equipamento, já bastante antigo (18 anos) será desativado e, possivelmente, encaminhado para estudos da Unesp.

A nova aquisição do HCFMB, de acordo com a Supervisora do Setor de Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética, Cássia Maria Lopes, trará mais precisão para os exames e abrirá um leque maior de serviços oferecidos. “O novo equipamento possui uma potência muito superior ao antigo, o que vai nos oferecer uma precisão ainda maior no detalhamento dos diagnósticos. Com o equipamento antigo, nossa atuação era limitada em exames de crânio e ortopédicos. A nova ressonância vai nos oferecer exames de coração, mama, próstata, colangio, tórax, entre outros diversos”, analisou a supervisora.

O prédio onde a nova ressonância ficará instalada ainda passa por uma fase final de reforma e adequação. A potência do equipamento fez com que fosse necessária a construção de paredes com até 16 chapas de aço revestidas com alumínio, já que seus três Tesla oferecem uma força 30 mil vezes maior do que a própria gravidade. Antes de entrar em funcionamento, os funcionários do setor passarão por um curso de capacitação, que será realizado no próprio Hospital das Clínicas.

Além dos pacientes, que serão os principais beneficiados, a Supervisora acredita que toda a comunidade acadêmica da Faculdade de Medicina também se beneficiará. “A expectativa é imensa para que ela comece a funcionar logo. Toda a comunidade universitária terá vantagem com isso, já que nenhum trabalho científico podia ser apresentado utilizando os resultados da maquina anterior, pois ela já não era nem aceita mais como referência. Com esse equipamento, todos os departamentos do hospital terão vantagens”, comentou Cássia.

Além da nova Ressonância Magnética de três Teslas, o Hospital das Clínicas também contará com outro equipamento do mesmo estilo, mas com 1,5 Tesla. Outra novidade no setor será a implementação de um aparelho tomógrafo Multislice, com 16 canais, também de última geração.

A ressonância magnética é um exame para diagnóstico por imagem que retrata imagens de alta definição dos órgãos através da utilização de campo magnético. A ressonância magnética não utiliza radiação, porém uma vez que o aparelho tem um potente campo magnético é preciso tomar cuidado para o que não utilizar durante o exame como: jóias, objetos metálicos, maquiagem e outros.

Fonte: Portal da Educação/ Lucas Machado