HC recebe prêmio por reduzir custos no setor de radiologia

Estudo realizado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), autarquia vinculada ? Secretaria de Estado da Saúde, constatou redução nos custos com o uso do modelo PACS (Sistema de Comunicação e Arquivamento de Imagens) no setor de Radiologia e Ultrassom da unidade. A pesquisa, transformada e divulgada em forma de artigo foi uma das premiadas durante o 4º Congresso Nacional e 1o Intercâmbio Internacional dos Profissionais das Técnicas Radiológicas, realizados simultaneamente, no mês de outubro, em Florianópolis (SC).

De autoria do supervisor do Setor de Radiologia e Ultrassom do HCFMB, Marcelo Aparecido Ferraz de Lima, o trabalho calculou e comparou os custos dos exames radiológicos mais realizados no setor de radiologia em dois sistemas distintos: o PACS e o sistema de Películas Planas.

Implantado em 2009 pela unidade, o sistema PACS substituiu, de forma gradativa, os tradicionais exames que necessitavam de revelação fotográfica em chapas específicas. Atualmente, todos os setores que se utilizam de Diagnóstico por Imagem estão interligados por estações computadorizadas, fazendo com que o acesso aos arquivos
seja instantâneo.

Para o comparativo, Ferraz de Lima verificou, entre 1º de janeiro de 2008 e 31 de dezembro de 2009, documentos do Setor de Radiologia e Ultrassom para identificar os materiais de consumo utilizados pelos dois sistemas. Também foram contabilizados custos com Recursos Humanos, telefone, água, esgoto, energia elétrica, manutenção e limpeza do setor.

Como resultado da pesquisa, o trabalho apontou que o HCFMB gastava em média entre R$ 30,39 a R$ 32,11 pelo sistema de películas planas por exame de radiologia. Já o preço pelo PACS era de R$ 29,22, redução de 8% frente ao método usado anteriormente.

“Até a década de 1980, a única forma de realização de radiografia era por meio de filme, sendo que, atualmente, um dos principais avanços tecnológicos nesta área é a utilização de sistemas de informação para gerenciamento de imagens”, ressalta Ferraz de Lima.

Para ele, a implantação do PACS possibilitou avanços relacionados ao paciente, profissional envolvido no processo por oferecer agilidade no atendimento, melhorias no fluxo de trabalho dos setores contemplados e facilidade no acesso ? informação por parte da equipe médica. “Apresenta ainda maior suporte ? tomada de decisão; possibilidade de acesso ? segunda opinião por meio de protocolos de telemedicina e telerradiologia; controle de procedimentos; diminuição de perdas e repetições; diferenciação do serviço prestado; facilidade para auditoria de processos e suporte ? tomada de decisão em nível de gestão”, complementa o autor.

No entanto, ele ressalta que as instituições de saúde, sejam públicas ou privadas, necessitam de avaliações econômicas para a incorporação e constante monitoramento do resultado em tecnologias em saúde.

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu conta atualmente com 60 estações de trabalho, acessados pela rede interna, com senha restrita, distribuídas entre seus blocos e setores que disponibilizam acesso ? s informações. Podem ser consultadas tomografias, ressonância e ultrassom. Além disso, também podem ser acessados exames da hemodinâmica, raio-x e medicina nuclear, além de endoscopia.

Foram co-autores os professores da FM, Altamir Santos Teixeira, Paulo Roberto de Almeida Silvares, Emílio Carlos Curcelli, Ricardo Campos Schellini, Silvana Andréa Molina Lima e do técnico em radiologia, Fernando Luiz Duchevischi Dalaqua.

Fonte:
Flávio Fogueral
Jornal da FMB