GCM e TG realizam doação de sangue ao Hemocentro

Fotos: Valéria Cuter

O corpo clínico do Hemocentro da Unesp de Botucatu recebeu na manhã desta sexta-feira (04) diversos Guardas Civis Municipais e atiradores do Tiro de Guerra (TG), para ajudar a suprir o baixo estoque de sangue e estimular a população para que realize doações.

A iniciativa vem de encontro ? s necessidades do Hemocentro que está precisando, com urgência, de sangue para evitar que haja redução na distribuição de bolsas de sangue para as cinco agências transfusionais que atende, por conta do baixo estoque.

Para suprir suas necessidades o Hemocentro precisa contar no estoque com 200 bolsas de sangue tipo O Positivo e, pelo menos, 30 de O negativo. Entre outras coisas, a falta de sangue pode cancelar cirurgias no hospital. “Essa possibilidade pode ser avaliada em breve, caso o número de doadores não aumente”, alertou o supervisor do Hemocentro, Silvio Luis Neves,

Para se ter uma idéia da preocupação do hospital, o Hemocentro telefona para os doadores ou envia cartas pedindo colaboração, mas a participação dos voluntários não tem atendido as expectativas. “Pedimos, inclusive, aos familiares e amigos de pessoas internadas no HC que, se puderem, doem sangue e nos ajude a melhorar o estoque. Doadores de todas as tipagens sanguíneas são bem vindos”, diz Neves.

A Assistente Social Maria Aparecida pede que os interessados em fazer doação de sangue se dirijam ao Hemocentro do HC de Botucatu, que funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 ? s 16h30, e também aos sábados, das 7 ? s 13 horas. “A doação de sangue é voluntária e pode salvar vidas”, observou.

O doador precisa ter entre 18 e 65 anos e pesar mais de 50 quilos. Deve manter-se alimentado e apresentar documento original de identidade, com foto. Não pode doar sangue quem teve hepatite após os 10 anos de idade, usuário de drogas injetáveis ou portador de hepatite B, hepatite C ou Aids. Os homens podem fazer doações trimestrais e as mulheres num período de quatro em quatro meses.