Estudo avalia alterações vocais em pessoas idosas

Um projeto de pesquisa do Programa de Bases Gerais da Cirurgia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) conquistou o 2º lugar durante o 12º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia, realizado entre os dias 15 e 17 de agosto, em Campos do Jordão. O tema do estudo é: “Morphometric Analysis of vocal fold structure, epithelium, lamina propria and muscle, in the elderly: a comparation betweenh the genders”.

O trabalho faz parte da tese de doutorado da fonoaudióloga Adriana Bueno Benito Pessin, sob a orientação da professora Regina Helena Garcia Martins – do Departamento de Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço – e coorientação da professora Selma Maria Michelin Matheus, do Departamento de Anatomia do Instituto de Biociências de Botucatu/Unesp (IBB). O objetivo da pesquisa é descrever as alterações nas estruturas das pregas vocais dos idosos, que levam a mudanças no padrão de voz dessa população, muitas vezes os afastando de suas atividades de trabalho ou lazer.

De acordo com Adriana, como as pessoas têm se aposentado cada vez mais tarde, muitos idosos, que utilizam a voz como instrumento de trabalho, permanecem por mais tempo em suas atividades profissionais. “À medida que as pessoas envelhecem, podem ficar roucas, suportam falar menos e ficam com a voz cansada, por isso é importante cuidar dessa população”, explica a pesquisadora.

Com os resultados desse estudo, a autora e suas orientadores pretendem oferecer terapias fonoaudiológicas que possam prevenir as alterações vocais e também tratar os problemas já existentes entre os representantes da melhor idade.