Estudo aprimora diagnóstico do diabete na gestação

Dando sequência ? s divulgações sobre os projetos da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) que foram selecionados pelo Programa de Pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em Saúde PPSUS, o site da FMB apresenta o estudo “Investigação de novos fatores de risco e da qualidade de vida, relacionados ao diagnóstico de diabete ou hiperglicemia na gestação”. A autora é a professora Iracema de Mattos Paranhos Calderon, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMB.

O objetivo dessa pesquisa é avaliar os critérios de diagnóstico da síndrome metabólica (SM) como fatores de risco para o desenvolvimento de diabete melito gestacional (DMG) ou hiperglicemia gestacional leve (HGL). Além disso, pretende analisar a qualidade de vida, identificar a presença e categorizar a intensidade de depressão e quantificar os níveis de ansiedade, Traço e Estado, em gestantes portadoras de diabete melito, clínico ou gestacional, ou hiperglicemia gestacional leve, em dois momentos: (i) para as diabéticas clínicas, no diagnóstico da gestação e, para as diabéticas gestacionais (DMG) ou com hiperglicemia gestacional leve (HGL), no momento do diagnóstico e (ii) no dia do parto para todas as gestantes incluídas no estudo.

Os resultados serão comparados com os observados no grupo de gestantes com risco para DMG, mas que não confirmaram o diagnóstico (grupo controle). Resultados esperados: 1) identificar novos marcadores de risco para o desenvolvimento de DMG ou HGL, a partir de critérios diagnósticos da Síndrome Metabólica; 2) avaliar qualidade de vida e aspectos psicológicos, relativos ? depressão e ansiedade, em gestantes portadoras de Diabete Melito (DM), tipo 1 (DM1), tipo 2 (DM2) e gestacional (DMG), e de Hiperglicemia Gestacional Leve (HGL), atendidas no SUS; 3) contribuir para uma melhor assistência pré-natal e, consequentemente, reduzir a morbimortalidade perinatal e materna; 4) contribuir para intervenções práticas e implementá-las na Política de Saúde da rede temática Pré-natal, Parto e Puerpério no Estado de São Paulo e no Brasil.

Esse estudo vai ser desenvolvido dentro da temática do Grupo Acadêmico Diabete e Gravidez – Investigação Clínica e Experimental, liderado pela Professora Marilza Vieira Cunha Rudge e pela Professora Iracema Calderon e certificado pela Unesp e CNPq. Desde 1996, é responsável por uma das linhas de pesquisa mais produtivas do Programa de PG em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia da FMB/Unesp, contribuindo, de forma concreta, para a evolução qualitativa do programa (conceito 5/CAPES).

“Nos últimos anos, o interesse na abordagem diversificada dos múltiplos aspectos do binômio diabete e gravidez e a busca por novas ferramentas tecnológicas aplicáveis no SUS vem favorecendo parcerias científicas, intra e interinstitucionais, nacionais e internacionais, resultando em incremento na captação de recursos para pesquisa, orientações em cascata, com supervisões de pós-doc, e publicações de impacto”, analisa professora Iracema, autora do estudo.