Dados avaliam infestação do mosquito da dengue

A Vigilância Ambiental em Saúde (VAS) de Botucatu realizou durante o último mês de outubro o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa). Tal atividade tem como objetivo avaliar a infestação do mosquito transmissor da dengue no Município. Os agentes de saúde pública visitaram 2.662 imóveis. Destes, 0,7% apresentaram larvas do mosquito, índice considerado satisfatório de acordo com a classificação estabelecida pelo Ministério da Saúde.

Em 2012, no mesmo período, o índice de infestação do Aedes aegypti em Botucatu foi de 0,5%. Já em janeiro de 2013, mês de verão (estação propícia para a proliferação destes insetos), as estatísticas foram de 5,5%, o que colocou a Cidade em situação de risco de epidemia.

Dessa maneira, o supervisor de serviços de saúde ambiental e animal, Valdinei Campanucci da Silva, orienta a população para que mantenha ações de prevenção. “Não deixemos recipientes em condições de acumular água parada e limpa, pois é aí que o Aedes aegypti deposita seus ovos”, alerta.

Reunião em Brasília – A equipe da VAS participou, entre os dias 11 e 14 de novembro, da reunião macrorregional do Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD) realizada em Brasília. Participaram do encontro todos os municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes.

Na oportunidade, o Secretário de Vigilância em Saúde do Governo Federal, Jarbas Barbosa, apresentou o balanço da situação epidemiológica da dengue no país e as estratégias de preparação para 2014. De acordo com os dados apresentados por ele, o número de casos de dengue contabilizados até setembro de 2013 teve um aumento de 171% em relação ao mesmo período em 2012.

Em 2013 foram registrados 573 óbitos motivados pela dengue, o que significa um aumento de 96% em relação ao ano interior. Dessa maneira, o Ministério da Saúde se reuniu com os representantes da área da saúde para atualização dos Planos de Contingência de Dengue estaduais e municipais com o objetivo de enfatizar a necessidade da capacitação de todos os profissionais de saúde da rede pública e privada, pois grande parte dos casos de óbito por dengue é evitável e depende, na maioria das vezes, da qualidade da assistência prestada e da organização da rede de serviços de saúde.

{n}Plano para Botucatu{/n}

A Secretaria de Saúde de Botucatu está em fase de finalização do Plano de Contingência de Dengue para o Município, que também prevê a capacitação dos profissionais da saúde da rede pública e privada. Ele ainda estabelece um fluxograma de conduta para o auxílio ao suspeito de dengue, que tem por objetivo reduzir o tempo de espera por atendimento médico e possibilita a aceleração de diagnóstico, tratamento e internação. Com base em normas técnicas estabelecidas pelo PNCD, a VAS já trabalha nas estratégias de controle ao mosquito transmissor da dengue na Cidade.