Crianças de 0 a 5 anos serão vacinadas contra a polio

Neste sábado (15),  acontece “Dia D” da campanha nacional contra a paralisia infantil. Além da vacina contra pólio, a campanha também inclui as outras vacinas previstas para crianças de até 5 anos no calendário vacinal básico.

Em Botucatu, todos as Unidades de Saúde estarão funcionando das 8  às 17 horas (inclusive no sábado 15/08/2015 – Dia D de Campanha). Todos os postos de vacinação terão disponíveis todas as vacinas do Calendário Vacinal de Rotina, bem como estarão devidamente preparados, com técnicos capacitados, treinados, para avaliação das carteiras de vacinação.

Entre os dias 15 a 31 de agosto de 2015, os pais ou responsáveis deverão levar a criança a uma das unidades de saúde do município, munidos de documento pessoal da criança e da carteira de vacina.

Com as crianças adequadamente vacinadas será mantida a erradicação do sarampo e a poliomielite, bem como, a redução a incidências de outras doenças imunopreveníveis. A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença provocada por vírus que afeta o sistema nervoso e pode levar à paralisia irreversível dos membros.

As crianças que forem se vacinar contra pólio poderão receber outras vacinas para atualizar suas cadernetas de vacinação, entre elas a vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba e é destinada a crianças com idade entre 1 e 5 anos incompletos.

A vacina oral poliomielite (VOP) é segura e são raras as reações associadas ao seu uso nas duas primeiras doses do esquema básico. Com a introdução da vacina inativada poliomielite (VIP) em 2012 substituindo estas duas primeiras doses, o risco é considerado baixíssimo. Quanto à vacina tríplice viral, são poucas as reações como febre ou dor no local da administração, sendo geralmente bem toleradas.

Postos fixos e volantes no sábado Dia D

 

Postos Fixos:

Praça do Bosque: Horário das 9:00 às 16:00 hs

Jau Serve da Floriano.

Horário  das 9:00 às 16:00  hs

 

Postos Volantes:

Zona Rural de Rubião Junior:
Fazenda Flamboiã: 09:30 as 10:00
Fazendo São Luiz: 10:30 as 11:00
Monte Alegre: 11:30 as 12:00
Faxinal: 13:30 as 14:00
Loteamento Belinda: 14:30 as 14:45
Bar da Nédima (Chaparral): 15:00 as 15:30
Califórnia (Ponto de ônibus): 16:00 as 16:30

Zona Rural Vitoriana

Rio Bonito: 9:00 as 10:00h
Porto Said: 10:15 as 11:15h
Mina: 11:30 as 12:30h
Condomínio Alvorada: 13:45 as 14:45h
Porto de Areia Rays: 15:00 as 15:20h

 

Brasil

O Brasil realiza em 2015, o 36º ano de Campanhas Nacionais de Vacinação contra a Poliomielite e o 26º ano sem a doença no país, estando livre do poliovírus desde 1989 e todas as ações devem ser mantidas até que aconteça a erradicação mundial. Em São Paulo, o último caso ocorreu no ano de 1988 no município de Teodoro Sampaio.

Em 1994, o país recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) a Certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem juntamente com os países das Américas.

Destaca-se que em 1988, desde a realização da Assembleia Mundial da Saúde, houve redução da incidência mundial dessa doença em mais de 99% e o número de países, atualmente, onde a poliomielite é endêmica passou de 125 para três (Nigéria, Paquistão e Afeganistão). Sem esse esforço internacional, mais de 10 milhões de pessoas teriam sido afetadas pela poliomielite.

Atualmente, o Brasil está livre da doença, mas a vacinação é fundamental para manter o vírus fora do país, segundo o Ministério da Saúde. Entre 2013 e 2014, 10 países registraram casos de poliomielite, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Objetivo e Meta da Campanha

Manter coberturas vacinais maiores ou iguais a 95% contra a poliomielite de forma homogênea em todos os municípios, promovendo a proteção coletiva por meio da disseminação do vírus vacinal no meio ambiente e evitar formação de bolsões de não vacinados.

O grupo alvo da campanha para a poliomielite são as crianças entre seis meses e menores de cinco anos de idade (seis meses a quatro anos 11 meses e 29 dias), totalizando no Brasil 12.716.756 crianças, a meta mínima é vacinar 95% do grupo alvo, de forma indiscriminada, ou seja, 12.080.918 crianças. No Estado de São Paulo a população alvo é de 2.519.247 crianças e a meta de 95%, corresponde a 2.393.285 crianças.