Centro de equoterapia utilizado pela Apape conta com nova estrutura

A Associação de Pais e Amigos das Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais (Apape) de Botucatu, que conta com o apoio da Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospital (Famesp), reformulou toda a estrutura de seu Centro de Equoterapia. O local, que agora conta com um espaço mais amplo e seguro para que as crianças possam realizar seu tratamento em uma área exclusiva, foi renovado também com um novo escritório, sala de espera e rampas de acesso.

As mudanças ainda não foram finalizadas, mas o centro de equitação já funciona com a nova estrutura e continua atendendo às crianças diariamente. A Apape disponibiliza o tratamento da equoterapia para crianças especiais desde 2005. A necessidade de melhorias surgiu com o aumento de pacientes atendidos no centro de equitação. Atualmente, 20 pacientes são atendidos duas vezes por semana.

O método trata os mais variados diagnósticos, desde autismo até hiperatividade, e envolve diversos benefícios às crianças, como melhora da postura corporal, equilíbrio, capacidade de concentração, independência e autoestima. Marcos Carnietto, pai de Pietro Carnietto, de quatro anos, estava aguardando o filho terminar a sessão no espaço de equoterapia. "A estrutura disponibilizada por eles ficou sensacional. Essa é a segunda vez dele, e a melhora já é nítida", afirma. 

Pietro tem dificuldade de interação social e nunca havia tido contato com cavalos. "Ele não gostava de animais, não chegava perto do nosso cachorro de estimação e não interagia com as outras crianças da escola. Após a primeira sessão, ele já passou a ser carinhoso com o nosso cachorro, ficou mais calmo e passou a se interessar por brincar com as outras crianças", diz Marcos.

Durante a reportagem, o garoto Pietro corria pela área de equitação, confirmando a melhora descrita pelo pai, com o amiguinho Davi Lecioli Batista, de cinco anos. Davi trata a hiperatividade com a equoterapia. "Este tratamento é a minha maior esperança para que ele melhore", diz a avó da criança, Maria Tereza Alberto. "Já notamos uma melhora significativa da sua concentração, ele passou a prestar mais atenção nas coisas", afirma. Davi fica ansioso pelas sessões e sempre leva uma cenoura como forma de agradecimento ao cavalo que o ajuda no tratamento.

Silvana Garcia de Carneiro, fisioterapeuta da Apape há dois anos, conta um pouco como este projeto é desenvolvido. "Trabalhamos cada criança de acordo com a sua necessidade, desde reabilitação motora até estimulação sensorial e interação social. Muitas crianças chegam aqui totalmente fechadas em seu mundo, levando meses para interagir com a gente", afirma.

Flávia Corulli Teixeira, instrutora de equitação da Apape, começou como voluntária e hoje é responsável por deixar os animais preparados para atuar com os pequenos, para que o cavalo não se torne apenas parte do tratamento, mas seu mais novo amigo."Me sinto realizada ao ver a evolução das crianças em tratamento. O sorriso delas compensa tudo", finaliza.

A Apape atende de segunda a sexta-feira das 7h30 às 18h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (14) 3882-4418. A nova estrutura do espaço de equoterapia deve ser inaugurada oficialmente ainda neste mês de março.

(Ass. de Imprensa Famesp / 4 Toques)