Campanha Antirrábica se inicia dia 1º de novembro

A Vigilância Ambiental em Saúde (VAS), vinculada à Secretária Municipal de Saúde, em parceria com a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp, está programa para iniciar a partir do dia 1º de novembro, a 44ª Campanha de Vacinação Contra Raiva (antirrábica) em Botucatu. A meta da campanha de 2014 é vacinar 22 mil cachorros e 3 mil gatos. Todo animal com mais de três meses de idade poderá ser imunizado. 

No dia 1º a campanha será nas áreas periurbanas, ou seja, bairros próximos a estradas e rodovias que circundam o Município: Jardim Tropical, Recanto Árvore Grande, Recanto da Amizade, Altos da Serra, Jardim Centenário, Parque das Cascatas, Chácara Recreio Vista Alegre, Fazenda Lageado, Rodovias Domingos Sartori e Antonio Butignoli.

Na sequência a ação se volta exclusivamente a cada uma das cinco regiões da área urbana, que receberão postos volantes em dias distintos: dia 3, região Norte; dia 4, região Leste; dia 5, região Central; dia 6, região Sul; e dia 7, região Oeste. Na área rural, a campanha será realizada de 10 a 17 de novembro (exceto fim de semana).

A campanha contará com mais de 100 pessoas envolvidas, entre elas funcionários da Secretaria da Saúde e alunos e docentes da FMVZ. A VAS informa que seus funcionários não estão autorizados a vacinar quaisquer animais fora dos postos de vacinação. Cabe, assim, aos proprietários levarem seus animais aos locais designados com a carteira de vacinação do animal em mãos.

Cada região da Cidade terá em média 15 postos por dia de vacinação a disposição da população. A novidade deste ano fica por conta da inclusão de novos postos distribuídos nos seguintes bairros: Real Park, Cohab 6, Vila Sossego (Rubião Júnior), e Residencial Caimã (Rubião Júnior).

 

Orientações

 

Além de não se esquecer de levar a carteira de vacinação do animal, o proprietário do mesmo deve seguir algumas recomendações importantes.  Para cães, o uso de coleira, guia ou corrente é indispensável. Também é aconselhável, no caso dos animais de comportamento mais agressivo, a utilização de focinheira.

No caso dos gatos, que terão prioridade na fila de vacina, os donos devem fazer o transporte do animal em caixas adequadas, com ventilação. Não levá-los em sacos ou sacolas plásticas, que podem causar a asfixia do animal. No momento da aplicação da vacina não é recomendado que crianças participem da contenção do animal. O procedimento deverá ser conduzido por um adulto, com o apoio dos profissionais presentes no posto.

 

Sobre a raiva

 

A raiva é uma doença infecciosa aguda, causada por um vírus, que compromete o Sistema Nervoso Central. No ser humano, de forma geral, pode apresentar sintomas como: febre moderada; dor de cabeça difusa; tontura; sensação de mal estar geral; com dores vagas e/ou generalizadas pelo corpo; coceira (com formigamento ou sensação de arrepio e queimação local) que em geral se inicia ao redor do local da agressão; dor de garganta e/ou dificuldades ao engolir; náuseas; vômitos; dor abdominal (vaga e difusa); alterações de comportamento (ansiedade, nervosismo, insônia, apreensão, agitação, agressividade, depressão e fobias), entre outros.

Cães e gatos podem ter um algum contato acidental com os morcegos, um dos principais vetores da doença. A raiva pode transmitida aos mamíferos, inclusive o homem, através da mordida, arranhão ou lambedura de cães, gatos ou morcegos contaminados pelo vírus. A doença pode também acometer os animais herbívoros como boi, cavalo, ovelha e cabra. 

Caso seja mordida por um animal, mesmo se ele estiver vacinado contra raiva, é recomendado que a pessoa lave imediatamente o ferimento com água e sabão, além de procurar com urgência o serviço de saúde mais próximo. De acordo com a Vigilância Ambiental em Saúde, o último caso de raiva em cães ou gatos em Botucatu foi registrado em 1985.