Botucatu ultrapassa meta de vacinação da gripe suína

Enquanto cidades da região continuam em estado de alerta devido ? propagação do vírus influenza da gripe suína (H1N1), Botucatu permanece isenta da doença. Somente quatro casos suspeitos foram detectados no Município, sendo que três já foram descartados e apenas um está em fase de análise.

Esse resultado é o reflexo do controle permanente realizado pela Vigilância Epidemiológica em Saúde, da campanha de vacinação contra a gripe, que contribui de forma significativa para a prevenção da doença, além da conscientização da própria população local, preocupada em manter hábitos de higiene saudável que possam evitar a transmissão do vírus.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta a todas as pessoas que pertencem aos grupos de risco que ainda não se imunizaram durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe 2012 a se dirigirem, munidos da carteira de vacinação, ? unidade de saúde mais próxima de sua casa para tomar a dose da vacina, de segunda ? sexta, das 8 ? s 17 horas.

A campanha é direcionada ? s gestantes, aos idosos com 60 anos ou mais de idade, ? s crianças na faixa etária de 6 meses a 2 anos, aos profissionais da saúde, e aos povos indígenas. Até o momento, em Botucatu, 18.718 pessoas foram vacinadas, o que corresponde a 81,25% do público alvo. Esse número supera a meta inicial da Cidade, que era imunizar 80% dessa população.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o principal objetivo da campanha consiste em reduzir a mortalidade, as complicações e as internações provocadas por infecções do vírus da gripe. Como resultado da imunização, em 2011, em todo o País, houve redução de 64,1% nas mortes por agravamento da gripe H1N1 (foram 53 óbitos, contra 148 no ano anterior), enquanto que o número de casos graves notificados diminuiu 44% (de 9.383 para 5.230).

Vale ressaltar que a vacina não é recomendável para quem tem alergia ? proteína do ovo (usada na sua fabricação) ou para as pessoas que tiveram reações adversas a doses anteriores. Também é importante lembrar que ela não protege contra a influenza aviária.

Em casos de doenças agudas e febris, ou de pacientes com doenças neurológicas, aconselha-se a busca de avaliação médica. A Secretaria de Saúde lembra ainda que para fazer doação de sangue deve-se aguardar 48 horas após a dose.

Outras vacinas também estão sendo oferecidas nesta campanha. São elas: contra difteria e tétano, para os idosos ainda não vacinados ou com esquema vacinal incompleto; contra a pneumonia, para os grupos de risco elevado; e atualização de vacinas atrasadas em crianças menores de 2 anos.