Botucatu triplica exames de mamografias em 7 anos

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo. Mais comum entre as mulheres, ele responde por 22% dos casos novos a cada ano. Estima-se que até o final deste ano, o Brasil contabilize 57 mil novos casos de câncer de mama e 16 mil óbitos relacionados ? doença. Em Botucatu, as ações em prol do diagnóstico precoce tem se fortalecido e beneficiado diretamente as mulheres atendidas na rede pública de saúde.

Segundo o médico mastologista de Botucatu, Marcus Guazeli, o número de exames realizado no Centro de Doenças da Mama, conveniado ? Secretaria Municipal de Saúde, mais que triplicou de 2006 a 2013. “É uma parceria de 7 anos onde nós ampliamos a abrangência e o rastreamento de câncer de mama em Botucatu. A demanda reprimida é quase nula, porém nós temos sempre que trabalhar mais. Se fomos comparar com anos anteriores eram 130 mamografias/mês para pacientes residentes de Botucatu e hoje temos praticamente 900 pacientes/mês”, informou ele, que na última segunda-feira (7) palestrou sobre o tema para enfermeiras responsáveis pelas unidades de saúde de Botucatu por conta da campanha Outubro Rosa.

O secretário municipal da Saúde, Claudio Lucas Miranda, também enaltece que o trabalho de diagnóstico precoce de câncer de mama em Botucatu é diferenciado. “Isso só tem a beneficiar a população feminina de Botucatu porque isso amplia a possibilidade de diagnóstico precoce do câncer de mama, pra que o tratamento seja feito de forma adequada e com isso deixar o mínimo de sequelas possíveis nessas pacientes. Cada mês que a gente perde de diagnosticar essa mulher a chance desse câncer aumentar e espalhar para o corpo se torna grande e com isso o prejuízo é sempre da paciente”, argumenta.

{n}Sobre o Outubro Rosa{/n}

O Outubro Rosa é um movimento mundial que nasceu em 1997, na Califórnia (Estados Unidos), e que tem crescido na busca de conscientizar as mulheres em torno do diagnóstico precoce do câncer de mama. Em Botucatu, o Outubro Rosa faz parte do calendário de ações da Saúde desde 2010.

Neste mês todas as unidades de saúde promovem ações de prevenção e orientação sobre a doença, especialmente sobre a necessidade de todas as mulheres com mais 40 anos realizarem a mamografia. A própria equipe do posto irá ofertar e agendar o exame médico a ser realizado no Centro de Doenças da Mama, que promove em média 1.500 mamografias/mês, somados os convênios com o Município e Estado.

Para fortalecer ainda mais esta campanha, servidores públicos municipais receberam um pequeno laço rosa o qual poderá ser preso ? roupa. Espaços públicos, como o prédio da Prefeitura, também ganharam o rosa na iluminação como já ocorre no Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e na Pinacoteca, em São Paulo.

{n}Prevenção e detecção precoce{/n}

Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações, inclusive no mamilo, ou aspecto semelhante ? casca de laranja. Secreção no mamilo também é um sinal de alerta. O sintoma do câncer palpável é o nódulo (caroço) no seio, acompanhado ou não de dor mamária. Podem também

Evitar a obesidade, através de dieta equilibrada e prática regular de exercícios físicos, é uma recomendação básica para prevenir o câncer de mama, uma vez que o excesso de peso aumenta o risco de desenvolver a doença. A ingestão de álcool, mesmo em quantidade moderada, é contraindicada, pois é fator de risco para esse tipo de tumor.

Embora a hereditariedade seja responsável por apenas 10% do total de casos, mulheres com história familiar de câncer de mama, especialmente se uma ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmãs) foram acometidas antes dos 50 anos, apresentam maior risco de desenvolver a doença. Esse grupo deve ser acompanhado por médico a partir dos 35 anos.

Primeira menstruação precoce, menopausa tardia (após os 50 anos), primeira gravidez após os 30 anos e não ter tido filhos também constituem fatores de risco para o câncer de mama.