Botucatu registra 2º caso de raiva em morcego

A Vigilância Ambiental em Saúde (VAS), em parceria com o Departamento de Zoonoses da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), confirmou nesta quarta-feira (17) o segundo caso positivo de raiva em morcego deste ano. Trata-se de um morcego insetívoro, ou seja, que se alimenta de insetos, encontrado na Chácara dos Pinheiros, região Norte de Botucatu. 

Por este motivo cães e gatos residentes nesta região da Cidade, que não foram vacinados na última Campanha Antirrábica (novembro/2014), devem ser levados aos postos permanentes de vacinação na Secretaria de Saúde (Rua Major Matheus, nº 7 – Vila dos Lavradores) e no Canil Municipal (Avenida Itália, s/nº – Lavapés). Estes postos funcionam de segunda à sexta, das 7h30 às 16h30. Na Campanha Antirrábica deste ano, mais de 20 mil animais foram imunizados. Deste total, pouco mais de 3,4 mil são residentes da região Norte.

Em Botucatu, mais de 80% dos morcegos se alimentam de insetos ou frutas. Ainda assim, seres humanos e seus animais domésticos devem evitar contato com morcegos que podem morder caso se sintam ameaçados. 

Cães e gatos podem se infectar entrando em contato acidental com um morcego positivo. Por este motivo, manter os animais imunizados é de fundamental importância para que a doença não avance junto a animais e seres humanos.

Ao encontrar um morcego caído a pessoa deve isolá-lo, colocando um balde ou caixa de papelão em cima dele e entrar contato com a equipe da Vigilância Ambiental em Saúde (150) ou pelo plantão da Guarda Civil Municipal (199). Caso o morcego entre na residência, deve-se apagar as luzes, abrir as portas e janelas para que ele encontre a saída sozinho. O último caso de raiva detectado no Município foi  em 1985.