Botucatu promove atividades educativas contra a dengue

Teve início nesta segunda-feira (19) a Semana Estadual de Mobilização contra a dengue, que tem ênfase na eliminação de criadouros do mosquito aedes aegypti. Em Botucatu, até sexta-feira (23), a Vigilância Ambiental em Saúde (VAS) realizará diversas atividades como teatro infantil com fantoches sobre o tema nas creches municipais, reuniões para orientações educativas com alunos de enfermagem da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), brincadeiras educativas com estudantes da rede municipal de ensino, ações de eliminação de criadouros e palestras nos projetos sociais.

Desde outubro passado, a VAS também tem apresentado teatros educativos nas escolas de educação infantil do Município. Por meio de bonecos e fantoches, os agentes de saúde pública ensinam as crianças a combater o mosquito transmissor e serem multiplicadores da informação no ambiente familiar.

A VAS também realizou em outubro, o Levantamento Rápido de Infestação por aedes aegypti (LIRAa) no Município. A atividade é preconizada pelo Ministério da Saúde com objetivo de medir o índice de infestação do mosquito transmissor da dengue em sua fase larvária e avaliar quais são os principais recipientes nos domicílios que estão em condições de se tornar criadouros de mosquitos. O resultado do levantamento foi de 0.5 imóveis com larvas de mosquitos para cada cem visitados. O índice indicado como satisfatório pelo Ministério da Saúde é menor ou igual a 1.0.

O supervisor de serviços de Saúde Ambiental e Animal, Valdinei Moraes Campanucci da Silva, menciona que em julho deste ano este mesmo levantamento apontou o índice de 0.9. Essa redução se deve a intensificação das atividades em áreas com maior infestação do mosquito transmissor da dengue e também a realização da Campanha da Faxina durante o mês de setembro.

“A realização da Campanha da Faxina contribuiu muito para diminuição dos recipientes considerados inservíveis como lata, potes plásticos, entre outros, que ainda permaneciam sem utilidade nas casas dos moradores. Com a campanha a população de Botucatu pode dar um destino adequado a eles, e assim não se tornaram criadouros do mosquito da dengue”, explica.

{n}Cuidados{/n}

Segundo a coordenadora da VAS, Gabriella Koppany Gonzalez, para Botucatu ter um verão sem dengue, a VAS orienta a população a receber os agentes de saúde pública e acatar suas recomendações. “Não podemos deixar recipientes em condições de acumular água da chuva ou provenientes da rede de abastecimento sem os devidos cuidados, pois o mosquito se prolifera em água parada e limpa”, destaca.

Ainda de acordo com a coordenadora, em 2012 a VAS já atendeu 97 notificações de casos suspeitos de dengue com apenas cinco casos positivos importados da doença (contraídas fora de Botucatu). “A transmissão da dengue acontece quando o aedes aegypti pica uma pessoa doente, se infecta e transmite a doença ao picar uma pessoa sadia. Com as atividades de redução de criadouros em torno dos casos suspeitos e confirmados não tivemos transmissão da doença em nosso Munícipio. Ao apresentar sintomas como febre alta, dores de cabeça, dores no fundo dos olhos, dores pelo corpo, cansaço, indisposição, a pessoa deve procurar atendimento médico e evitar a automedicação”, reforça Gonzalez.