Acontece agora: Rotary Club está realizando testes para detectar hepatite; ação se dá na Festa de Santana

 

hepatite cA Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite (ABPH) e o Rotary Club, estão realizando neste momento um mutirão de testes rápidos de Hepatite C, direcionado para homens e mulheres com mais de 40 anos. A ação vai até às 15 horas deste sábado, dia 30, na área coberta da Festa de Santana. O evento conta com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde.

O mutirão busca quebrar o grande silêncio que existe sobre a doença, diagnosticando portadores do vírus, que desconhecem a situação que se encontram. A doença é assintomática até as suas fases mais avançadas e, geralmente, quando o portador percebe os primeiros sintomas, já é tarde demais e a única possibilidade de cura seria um transplante de fígado.

“O teste é rápido e gratuito, não dói nada. Estamos com uma equipe aqui esperando a população em geral. É muito importante esse teste, já que a doença é silenciosa”, disse Lucas Machado, presidente do Rotary Club Botucatu Norte.

A campanha deste ano defende a ideia de que o exame de sangue simples, conhecido como hemograma completo, deveria incluir, automaticamente, o teste rápido das Hepatites B e C. Somente esta iniciativa diagnosticaria centenas de milhares de pessoas e salvaria a vida de todas elas, de acordo com a Associação Brasileira de Portadores de Hepatites (ABPH).

hepatiteCom apenas uma picada em um dos dedos das mãos, todos os participantes saberão se possuem ou não a doença. Em caso de testes positivos, uma equipe médica especializada, liderada pelo Dr. Giovanni Faria Silva fará o encaminhamento necessário e oferecerá todas as informações necessárias para que o tratamento seja iniciado o mais breve possível.

3 milhões de portadores = 50 MARACANÃS

Quem lidera o projeto global é justamente o Brasil, onde cerca de três milhões de pessoas são portadoras da Hepatite C. Esse número poderia encher 50 estádios como o Maracanã, no Rio de Janeiro. No mundo, há meio bilhão de pessoas que carregam os vírus das Hepatites B e C e, absurdamente, apenas 5% dos casos estão diagnosticados. A Hepatite C mata duas vezes mais do que a AIDS. Somente nos EUA, em 2015, a Hepatite C matou mais do que todas as doenças infecciosas juntas. Mas, se descoberta e tratada a tempo, ela tem cura.

hepatice bSobre a ABPH

A iniciativa do “Hepatitis Zero Project” partiu de um sonho de um sobrevivente do vírus, o brasileiro Humberto Silva, que venceu a doença após carregá-la por 38 anos, sem nunca desconfiar. Ele fez um voto de mudar a situação no mundo e hoje, junto ao Rotary Internacional, mobiliza ações para erradicar a doença.
Criada em 2012, a Associação Brasileira de Portadores de Hepatites (ABPH) tem como objetivo trazer à luz os quase 3 milhões de brasileiros infectados com os vírus da hepatite C ou, e que ainda vivem sem saber que estão doentes.

A Organização também fomenta a missão de advogar a causa, divulgá-la e criar maneiras para os que já estejam diagnosticados possam ter tratamento de qualidade em busca da cura da doença. A ABPH tem atendimento nas cidades de São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Recife e, em breve, também em Belo Horizonte.
Saiba mais em www.hepatite.org.br.