Ação da Unesp faz recolha bitucas e alerta sobre malefícios tabagismo

Uma ação de conscientização sobre os malefícios do cigarro movimentou o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp(HCFMB) nesta terça-feira, 31 de maio. Na data em que se comemora o Dia Mundial Sem Tabaco, alunos da Pós-Graduação e da Liga Acadêmica de Pneumologia envolvidos em pesquisa sobre tabagismo – além de funcionários da limpeza realizaram uma varrição e coleta simbólicas das bitucas de cigarro espalhadas pelas áreas externas do hospital.

A vice-superintendente do HCFMB, professora e pneumologista Irma de Godoy, que coordenou a iniciativa, comenta que o movimento objetivou mostrar os prejuízos do cigarro não só para a saúde das pessoas, mas também para o ambiente em que elas convivem. Muitas das bitucas recolhidas estavam em locais onde podem causar entupimentos, sujam áreas verdes,

A coleta ocorreu nas áreas externas ao Departamento de Patologia (próximo ? Função Pulmonar), Pronto-Socorro e Boulevard (entrada principal do HC). Também foram recolhidas amostras nos solários de enfermarias.Em apenas um deles, o material recolhido pesou 500 gramas. Todas as outras porções de bitucas coletadas serão pesadas.

A ação de coleta das bitucas deve se repetir durante a 12ªFeira da Saúde, promovida por alunos da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e que será realizada dia 4 de junho, na Praça Emílio Pedutti (Praça do Bosque).O evento acontecerá das 8 ? s 17 horas. No hospital, em cumprimento a lei estadual nº 13.541, em vigor desde 7 de agosto de 2009, é proibido fumar em todas as dependências do HC,sejam internas ou externas.

{n}Reabilitação Pulmonar{/n}

O HCFMB dispõe,desde 1989, de um Programa de Reabilitação Pulmonar. O serviço atende atualmente a cerca de 40 pacientes com doenças pulmonares obstrutivas crônicas,oferecendo acompanhamento médico, atividades físicas e integração social.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em2030 haverá 8 milhões de mortes por ano relacionadas ao tabaco. Cerca de 80%delas nos países em desenvolvimento, entre eles o Brasil. Metade dessas mortes atingirá pessoas em idade produtiva, entre 35 e 69 anos.

As estimativas atuais no Brasil são de que, a cada ano,200 mil indivíduos morram precocemente devido ? s doenças causadas pelo fumo.Além disso, já está comprovado o efeito maléfico também para o fumante passivo.A estimativa é de que existam 2 bilhões de fumantes passivos no mundo, sendo700 milhões deles crianças.

O cigarro contém cerca de 4.720 substâncias químicas. Pelo menos 60 delas são reconhecidamente cancerígenas, além de irritantes e tóxicas para os pulmões. Quem fuma tem 200% a mais de risco de ter um derrame ou um infarto. As toxinas do cigarro endurecem os vasos, comprometendo a oxigenação do sangue, o que pode levar ? isquemia e ao infarto.

Fonte: Leandro Rocha
Assessoria deComunicação e Imprensa da FMB/Unesp e HCFMB