Seis pessoas são presas pela PM por tráfico de entorpecentes

Capitão Aleksander Lacerda, comandante da 2ª Companhia de Polícia Militar, sediada em São Manuel e que faz parte da área de comando do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), de Botucatu comandou uma operação que culminou com um flagrante de tráfico de entorpecentes e a prisão das pessoas envolvidas.

A operação foi desencadeada durante a madrugada pelos policiais militares de Bofete e Porangaba e teve início quando os policiais cabo Escorsi e soldado Corrêa efetuavam patrulhamento pela Rua José Silveira, na Vila do Trevo e observaram que um indivíduo conhecido como “João Pinga” ao avistar a viatura pulou o muro de uma residência. Ele foi perseguido e detido.

No local onde ele havia pulado o muro, os policiais localizaram oito “parangas” de maconha e três pedras de crack. Com a chegada do reforço policial, a casa foi invadida e mais cinco pessoas foram detidas. Na revista pelo interior da casa os PMs localizaram outras oito “parangas” de maconha”, 21 pedras de crack e uma porção de cocaína.

Todas as pessoas que estava na casa foram conquistadas ? Delegacia de Polícia de Bofete e indiciadas pelo delegado Lourenço Talamonte Neto, em crime de flagrante de tráfico de entorpecentes. São elas: João Carlos Lúcio Pinto (25); Fernando Henrique de Oliveira (28); Douglas Henrique de Souza (19); Fernando de Souza Putini (23); Cícero Pereira Gomes (43) e Daiane de Araújo Silva (19).

Todos os homens que acabaram indiciados nessa ocorrência foram recolhidos ? Cadeia Pública de Botucatu. Já a única mulher do grupo está no presídio feminino de Itatinga. Cada um dos seis envolvidos foi enquadrado na lei do tráfico de entorpecentes poderá pegar de 05 a 15 anos de reclusão, caso haja condenação.

“Graças ? ação dos policiais foi possível a rápida prisão dos indivíduos, sendo que é sempre importante ressaltar que a participação da comunidade em fornecer informações e denúncias ajuda, e muito, o sucesso do trabalho das Policias Civil e Militar”, comentou o capitão Aleksander, lembrando que para ajudar a polícia a pessoa pode ligar no 190 (Militar), 197 (Civil) ou o disque denúncia 181.