São Manuel busca readequação da TV digital

Prefeito de São Manuel Marcos Monti  pretende readequar na Cidade o sistema de retransmissão de TV digital aberta fazendo a manutenção e troca dos aparelhos que estariam quebrados e obsoletos.

“Os equipamentos que pertencem ao Município estão sendo trocados por modelos mais atuais, além disso, atendendo a uma exigência do prefeito, entramos em contato com todas as emissoras para que acelerem o processo de instalação dos equipamentos da TV digital aberta”, comentou Neto Nítolo, diretor da pasta.

Alguns retransmissores pertencem às próprias emissoras, como é o caso das retransmissoras regionais da Band, Record, SBT e TV Tem, afiliada à Rede Globo, e da TV Cultura, que não possui uma regional e seu sinal vem direto de São Paulo. Nestes casos a manutenção é realizada pelas próprias empresas. “Quando equipamentos dessas emissoras apresentam algum tipo de problema, a Prefeitura é obrigada a acioná-las, pois não temos autorização para abri-los e efetuar a manutenção”, explica o diretor.

Com a mudança do sinal analógico para o digital, os canais de televisão serão obrigados a trocar todos os seus equipamentos, inclusive os retransmissores. Como ainda existe um período para essa transição, as empresas estão realizando essa troca aos poucos, pois isso gera um custo elevado. A determinação do Ministério das Comunicações diz que as emissoras de televisão, dependendo a região, terão até 2018 para se adequar ao novo sistema digital e desligar o sinal analógico. Essa medida é denominada por switch off.

Na região de São Manuel, a data limite é 26 de novembro de 2017, mas as emissoras regionais se preparam para antecipar isso. Consecutivamente a Prefeitura, garante o prefeito Marcos Monti, mantém contato direto com as empresas, para saber das mudanças e adequações que a torre de TV irá precisar. “Algumas emissoras já estão com os trabalhos adiantados, caso da TV Tem, que está com os equipamentos montados, só esperando a autorização da Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações – órgão do Governamental que regula, outorga e fiscaliza empresas do segmento. A Rede Vida de Televisão, também já está com projeto para a mudança”, garante Monti.

Ele realça que a transição é mais complicada do que se imagina, pois mesmo já tendo os equipamentos instalados, como é o caso da TV Tem, uma emissora só poderá transmitir o sinal digital aberto após a autorização do órgão responsável. “Já para a população, a transição é bem mais simples. Hoje, quase todos os aparelhos televisores encontrados no mercado já vêm com o conversor digital, além disso, também encontramos conversores externos para serem ligados em aparelhos mais antigos, como os de tubo. Outra peça necessária é uma simples antena UHF interna para o sinal digital. Em alguns locais com terrenos mais acidentados ou com muitos obstáculos para as ondas, será necessário uma antena externa”, ressalta o prefeito sãomanuelense.

O entretenimento também é um direito da população, muitos possuem assinaturas de TVs pagas, mas ainda é a minoria, por isso é importante o bom relacionamento da Prefeitura com as emissoras. “Matemos contato com as emissoras no intuito de auxiliar no que for preciso para agilizar essa transição. Além disso, estamos trabalhando para colocar a disposição mais canais, como foi o caso da TV Aparecida e possivelmente a volta da Rede TV!, só que desta vez de forma legal”, salienta Monti.