Quadrilha estoura caixas eletrônicos em Bofete

Um assalto de grandes proporções tirou o sossego da pacata Cidade de Bofete, na madrugada desta quarta-feira (9), por volta das 3 horas. Uma quadrilha fortemente armada explodiu três caixas eletrônicas do Banco Santander, que fica na Rua Manoel Ribeiro Maracajá, região central da Cidade, ao lado da Praça da Matriz.

Consta no Boletim de Ocorrência (BO), confeccionado pelo delegado Lourenço Talamonte Neto, que 07 marginais, fortemente, armados com fuzis e pistolas renderam o vigia do banco, Adevam Fernandes da Graça e o colocaram no porta-malas de um veículo Ford EcoSport prata, com placas de São Paulo, onde permaneceu por cerca de 20 minutos.

Os marginais invadiram a agência bancária e usando explosivos estouraram três caixas eletrônicos levando grande soma em dinheiro (montante não divulgado) e fugiram no EcoSport, depois de liberar o vigia do porta-malas. Cédulas de diversos valores ficaram espalhadas pela agência e calçada, durante a fuga.

A ação dos marginais mobilizou toda rede policial da região que compareceu ao local e o carro usado na fuga foi localizado abandonado na rodovia municipal Lázaro Cordeiro de Campos, bem próximo ao trevo de acesso ? SP-300 Rodovia Marechal Rondon.

No local esteve a Polícia Técnica Científica para coletar dados que possam ajudar a identificar os criminosos. Pelas características o assalto consumado a polícia tem a convicção de que os marginais não são da região já que não se preocuparam em ocultar os rostos.

{n}Quadrilha já pode ter agido na Cidade{/n}

Essa quadrilha que estourou os caixas durante a madrugada pode ser a mesma que no último dia 15 de abril praticou um sequestro seguido de assalto cometido contra o mesmo banco Santander, em Bofete. Nesse caso, embora os bandidos não tenham sidos presos, o dinheiro foi recuperado.

Na ocasião, 07 homens invadiram a casa de uma mulher chamada Helena, gerente do banco Santander. Ela, o esposo e duas filhas foram rendidas e os marginais exigiram a chave do cofre. A mulher alegou que tinha a chave, mas quem tinha a senha era a outra gerente do banco, chamada Michele.

Três marginais se deslocaram até a casa dessa mulher que foi rendida ao lado do marido. O casal foi trazido até a casa de Helena onde ficaram ? mercê dos assaltantes, permanecendo assim durante toda a noite. Pela manhã as duas gerentes foram até o banco e os marginais ficaram com a família e relataram ao chefe da segurança que estava acontecendo, mostrando uma foto feita por celular de sua família sendo ameaçada pelos marginais com armas apontadas para suas cabeças. O chefe da segurança não impediu que elas levassem o dinheiro, mas alertou que comunicaria ? polícia.

Mantendo contato com os marginais via celular, as mulheres apanharam o dinheiro que estava no cofre (R$ 210 mil), colocaram em uma caixa de papelão e vedaram com fita adesiva. Depois se deslocaram para o carro (Nissan Livina) e receberam a orientação para jogar a caixa de dinheiro na saída da Cidade em uma moita de capim e voltar para casa que a família seria liberada.

Entretanto, a Polícia Militar avisada de que estava ocorrendo um roubo, suspeitou de um veículo Cross Fox e deu ordem de parada. Porém o condutor disparou um tiro contra a viatura e arrancou em alta velocidade, escapando do cerco policial. Os reféns foram deixados no trevo de acesso ? Cidade de Torre de Pedra.

O delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Celso Olindo, com os policiais civis Afonso e Eliandro, estiveram no local e localizaram a caixa com o dinheiro jogada pelas mulheres.