Polícia prende acusado de estuprar garota de 18 anos

Um trabalho conjunto das polícias Civil e Militar de Itatinga resultou no esclarecimento de um estupro cometido contra uma estudante de 18 anos de idade, na noite do último dia14. Essa menina voltava para casa quando foi abordada por um elemento desconhecido, o qual simulava estar armado e a agarrou pelo pescoço e a levou até uma plantação de trigo, onde a estuprou por cerca de 30 minutos, além de agredi-la fisicamente.

Desde então os policiais civis e militares da Cidade trabalharam diuturnamente para esclarecer esse crime que revoltou toda a sociedade itatinguense e o delegado seccional de Polícia, Antônio Soares da Costa Neto estabeleceu prioridade absoluta nas investigações. Diversas inserções policiais foram feitas com vários suspeitos sendo levados até a Delegacia de Polícia até que na tarde desta segunda-feira (25) o autor do crime foi detido, 11 dias após o crime.

Inicialmente, os policiais militares cabo Cristiano e soldado Inoue, sob o comando do sargento Franzini abordaram mais um suspeito na rua e o levaram até a delegacia para as investigações necessárias. O Setor de Investigações através do investigador Elizeu e o escrivão Rui em diligência juntamente com os PMs, findaram por esclarecer totalmente o crime comprovando de forma cabal a autoria imputada a Givanildo Costa de Brito, de 19 anos. O detalhe que os policiais guardavam como ponto de referência na investigação era a falha de dois dentes frontais estragados do autor do crime. A vítima, prontamente, reconheceu o suspeito sem qualquer sombra de dúvida, inclusive a voz do criminoso.

Com os fortes indícios da autoria, o investigador Elizeu e o escrivão Rui diligenciaram até a casa de Givanildo, onde comprovaram de vez a  autoria do crime, já que o estuprador tinha perdido no mato o pé de chinelo esquerdo que calçava na ocasião.  Na casa onde morava, os policiais localizaram o pé direito. Esse tipo de chinelo não é vendido na cidade de Itatinga e vieram do estado da Bahia. Diante de tantas evidências Givanildo confessou, integralmente, ter sido ele o autor do bárbaro crime.

O delegado Paulo Buchignani que coordenou o trabalho investigativo deu o caso por encerrado, cumprimentando a todos os policiais que participaram, de maneira prioritária, do esclarecimento desse crime e fez questão de também mencionar o escrivão Thiago, investigadores Glauco e João Alves, além de todos os policiais militares do Destacamento de Itatinga.

Givanildo Brito, é oriundo da Cidade de Ribeira do Pombal, na Bahia e teria vindo para Itatinga trabalhar na colheita de laranja e plantio de eucalipto. O delegado pediu sua prisão temporária que foi acatada pelo juiz Davi Oliveira Luppi, com o parecer do Promotor de Justiça, Cassiano Gil Zancolli.