PM registra caso de sequestro e cárcere privado contra mulher

Um caso registrado em Boletim de Ocorrência (BO) como seqüestro, cárcere privado e lesão corporal foi atendido pela Polícia Militar de São Manuel, na Avenida dos Expedicionários, nº 800, no CDHU da cidade. A ocorrência teve início ? s 15 horas em Botucatu e se encerrou por volta das 22 horas em São Manuel.

Foi preso nesta operação da PM, um cidadão de nome José Renato de Barros, de 37 anos de idade, que teria agredido e amarrado sua ex-mulher Maria da Penha Nunes de Moura, 32, no Parque 24 de Maio em Botucatu, por não se conformar com a separação após nove anos de relacionamento. Posteriormente, o homem teria levado a mulher até a cidade de São Manuel e a manteve sob cárcere privado. A ação do marginal em obrigar a mulher a entrar no carro em Botucatu teria sido presenciada por um parente da vítima que acionou a polícia.

E foi esta testemunha que levou os policiais até a casa de Barros em São Manuel e encontraram a mulher com hematomas, em razão das agressões sofridas pelo ex-companheiro. Descreve o BO que, num primeiro momento, quando os policiais militares chegaram a casa foram informados pela mãe do indiciado de que ele havia passado pela residência na companhia de Maria da Penha e ido embora.

Depois de efetuar buscas por diferentes regiões da cidade os PMs retornaram ? casa da mãe de José Barros e lá, finalmente, encontraram o casal. Ele negou que havia cometido crime de seqüestro, mas a mulher confirmou que foi mantida refém pelo homem e as agressões que teria sofrido.

Chegou a declarar aos policiais que ele havia tentado violentá-la em um canavial, quando retornava para São Manuel. Ela teria reagido e foi agredida a socos e pontapés. Ainda segundo a mulher, Barros ameaçava constantemente matar ela e o filho de nove anos, que estava em Botucatu.

Os dois foram conduzidos ao Plantão Permanente onde o delegado José Mário Toniato, após ouvir as versões apresentadas pelo casal, determinou o recolhimento de José Barros ? Cadeia Pública da cidade, onde permanece ? disposição da Justiça. O caso foi encaminhado ? Delegacia de Defesa da Mulher, onde o inquérito será presidido pela delegada Michela Aparecida da Silva.