Piloto de São Manuel morre em queda de aeronave na Capital

O piloto Paulo Roberto Baú, de 51 anos, que era morador de Sao Manuel, morreu neste sábado, 19, com a queda de uma aeronave que ele pilotava. O Acidente aconteceu na Capital Paulista. O avião monomotor caiu sobre uma residência na Casa Verde, Zona Norte de São Paulo e deixou sete mortos e um ferido, segundo o Corpo de Bombeiros. O monomotor pertencia ao ex-presidente da mineradora Vale Roger Agnelli, conselheiro da Petrobras e executivo com carreira em grandes empresas como o Bradesco.

Apesar de residir em São Manuel, a família do piloto é de Roraima. Segundo uma pessoa próxima, um irmão de Paulo vai até São Paulo para tratar da liberação do corpo, já que será necessário realizar um exame de DNA para comprovar a identificação. "Toda família está em choque. Quando saiu a notícia da queda da aeronave do dono ex-dono da Vale, nos entramos em desespero, foi um terror. Ele voava todos os finais de semana com esse pessoal", disse ao Acontece Botucatu, a pessoa que pediu para não ser identificada.

O acidente

De acordo com a Infraero, havia sete pessoas no monomotor de prefixo PRZRA. Todos os mortos, quatro homens e três mulheres, estavam no avião, segundo os bombeiros.

A aeronave caiu às 15h23 na cabeceira 12 do Aeroporto Campo de Marte sobre uma casa de um bairro de classe média alta na Rua Frei Machado, 110, perto da Avenida Braz Leme. O aeroporto foi fechado às 15h30. Os moradores da casa atingida conseguiram escapar pelos fundos.

Uma mulher que fechava o portão de uma casa vizinha ao imóvel atingido ficou levemente ferida e foi levada ao Pronto-Socorro da Santa Casa, na região central da cidade, segundo os bombeiros.

O hospital, por meio da sua assessoria de imprensa, afirmou que a mulher se assustou com o barulho da explosão, se jogou no chão e sofreu escoriações leves. Ela teve alta.

Um vizinho da residência afirmou ter visto o avião voando muito baixo, de forma estranha. Pouco depois, ouviu um estrondo. “Na casa tinha cinco pessoas que colocaram uma escada e saíram pelas portas dos fundos. Se não tivessem saído pelos fundos tinham sido queimados juntos", disse Toni Sargologos, de 46 anos.

Ele conta que saiu de sua casa para prestar socorro, mas foi impedido por causa do fogo que atingiu árvores e veículos na via. Segundo o major Hengel Ricardo Pereira, do Corpo de Bombeiros, o trabalho de rescaldo foi concluído por volta das 19h30. Quinze carros e 45 bombeiros trabalharam na ocorrência.

O comandante afirmou que a aeronave bateu na garagem da casa, um sobrado de três andares, atingindo parte da sala. "Os corpos que nós achamos estavam no meio da fuselagem. Com o choque, a aeronave fez um buraco no chão. Alguns corpos estavam dentro desse buraco. A gente acredita que essas sete vítimas estavam presentes na aeronave. Não sobrou nada do avião", disse o major.

(Com G1)