‘Nasceu de novo’, diz delegada sobre bebê jogada pela janela após parto em Bauru

 

Foto: Reprodução / TV TEM/Arquivo

A delegada que investiga o caso de tentativa de infanticídio em Bauru (SP) disse que foi um milagre a menina ter sobrevivido. De acordo com as investigações da polícia, a mãe do bebê, uma adolescente de 16 anos, é suspeita de tentar matar a filha dentro do banheiro de casa, no bairro Boa Vista, na quarta-feira (4). Ela tinha escondido a gravidez da família e, quando entrou em trabalho de parto, se trancou no banheiro e tentou asfixiar a recém-nascida. Por fim, jogou o bebê pela janela de casa.

“Ela nasceu de novo, é uma guerreira”, afirma a delegada Alexandra Gonçalves Nogueira, da Delegacia de Defesa da Mulher. A criança, que nasceu com 3,3 quilos, segue internada na Maternidade Santa Isabel. A delegada disse que o estado de saúde dela é estável, mas não há previsão de alta.

Ainda segundo a delegada, a adolescente confessou que não queria ficar com o bebê. “A menina contou que tinha a intenção de se desfazer da criança. Ela disse que engravidou de um homem com quem teve um relacionamento uma vez e nem sabe o nome dele”, completa.

A adolescente também está internada na maternidade e deve ter alta nesta sexta-feira (6).

Ato infracional

Segundo o delegado Luiz Claudio Massa, a adolescente tentou matar a filha várias vezes ao dar à luz no banheiro de casa. Ela tentou estrangular a criança com o cordão umbilical e enfiou papel higiênico na boca do bebê para sufocá-lo.

Foto: Reprodução TV TEM/ Arquivo

Por fim, ainda segundo o delegado, a jovem jogou o bebê pela janela enrolado em uma toalha quando percebeu que sua mãe estava na porta do banheiro.

A avó da criança acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que socorreu a vítima para a Maternidade Santa Isabel. Ainda segundo a polícia, a avó também não demonstrou interesse em ficar com a criança.

Segundo Alexandra, quando a menina receber alta, deve ir para um abrigo. Como o caso é um ato infracional, será encaminhado para a Vara da Infância e Juventude. A adolescente será acompanhada por equipes especializadas.

Fonte: Portal G1