Mulher é presa tentando levar cocaína para detento

A Polícia Civil de São Manuel realizou na manhã desta quarta-feira um flagrante de tráfico de entorpecentes na Cadeia Pública, onde 208 presos estão espalhados no pátio, em razão da destruição das celas, por causa de uma tentativa de fuga seguida de início de rebelião ocorrida, recentemente. A cadeia foi construída para abrigar 40 presos, mas está com 220. Desses, apenas 12 (presos) estão encarcerados na cela do seguro. Esta é uma cela especial destinada para alojar presos que estão sob ameaça de morte por parte de outros detentos.

Segundo apurou a reportagem do Acontece, a equipe de investigação formada pelos policiais Spock, Marcos e Marcelo estava realizando um trabalho já há 15 dias para flagrar o tráfico de entorpecentes na cadeia, por intermédio dos visitantes. Nesta quarta-feira quando uma mulher suspeita chegou ? carceragem passou por uma revista pessoal, mas nada foi encontrado.

Entretanto, essa mulher trazia consigo uma sacola para entregar para um dos presos, com vários envelopes de suco, bolachas e gêneros de primeira necessidade e higiene pessoal como sabonete, creme dental, entre outros. Na vistoria, os policiais detectaram que um dos envelopes de suco estava recheado com, aproximadamente, 140 gramas de cocaína.

A mulher, então, recebeu voz de prisão em flagrante e quando questionada sobre o entorpecente, acabou entregando mais 154 gramas de cocaína que estava em um terreno baldio e dentro de sua casa. A mulher foi identificada como sendo Jéssica Aparecida Dias da Silva, de 19 anos que acabou enquadrada em crime de tráfico de entorpecentes e recolhida ? Cadeia Pública de Itatinga.

Segundo a polícia, essa droga seria entregue para o detento Carlos Antônio da Silva, 28, que no dia 27 de outubro deste ano, foi preso quando saia de um motel, em São Manuel. Na ocasião trazia consigo, cerca de um quilo de cocaína.

“A equipe estava fazendo averiguação há alguns dias e na data de hoje (quarta-feira, 10), conseguimos impedir que uma boa quantidade de cocaína chegasse a um dos presos. Nosso trabalho investigativo continua e outras operações neste sentido serão realizadas”, comentou um dos investigadores.