Médico de Botucatu é preso por estupro em Barra Bonita

Reprodução/Facebook

O Jornal A Cidade de Bauru, em matéria assinada pela repórter Ana Borges, divulgou um crime de estupro que teria sido cometido por um médico, de 61 anos (Florisvaldo di Creddo) preso na manhã desta quinta-feira (1), após uma paciente de 48 anos alegar que ele tentou seduzi-la durante uma consulta no Hospital Maternidade São José, por volta das 8 horas. Após a denúncia, ele foi preso ainda dentro do Pronto Socorro (PS) e encaminhado ? Cadeia de Barra Bonita.

Segundo o delegado Antônio Ângelo Meneghel, a mulher procurou a delegacia logo após o ocorrido e teria contado que estranhou que durante a consulta, o médico perguntou seu estado civil. Quando ela respondeu que era viúva, ele teria se levantado e trancado a porta do consultório imediatamente. Na sequência, se aproximou da vítima por trás, passou a massagear suas costas e ainda teria dito palavras de conotação erótica.

A vítima conta que ele ainda teria dito que faria a retirada do cisto sebáceo, motivo que a levou a procurar ? unidade de saúde em troca de favores sexuais. A mulher se levantou e, nesse momento, ele a teria agarrado pelas costas e se esfregado na paciente. A todo momento teria ficado com as mãos em seu órgão sexual, mas, não chegou a se despir, nem tirar a roupa da paciente.

Assim que ela conseguiu sair da sala, procurou uma enfermeira que a orientou a procurar a Polícia. Ela se dirigiu até a Delegacia de Barra Bonita e registrou o boletim de ocorrência (BO). O acusado, que é morador de Botucatu, foi preso ainda dentro do Pronto Socorro (PS) em que atuava como prestador de serviços há aproximadamente um ano. Em depoimento, ele negou as acusações.

“Ele já responde por outros dois processos por crimes de ordem sexual e assim que a informação se tornou pública, outra vítima me ligou na delegacia para fazer uma denúncia que teria sido assediada por ele desta mesma forma nesta manhã e também registraria a queixa”, disse o delegado.

A reportagem entrou em contato com o Diretor administrativo do Hospital, José Maria Capelassi, que disse que irá acompanhar todo o caso. “Vamos aguardar o processo de investigação e quando for concluído será encaminhado ao Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP) através do Conselho de Ética. Se houve erro, cada um deve arcar com a sua responsabilidade. O hospital está aqui para garantir a saúde e o bem estar de todos os pacientes. E diante dessa situação e das reclamações, pelo hospital o médico já está demitido”, enfatizou.

Ele ainda relatou que não é possível acusar, porém, quando questionado sobre outros problemas em relação ? conduta do profissional revelou que este já é o terceiro boletim de ocorrência (BO) registrado contra esse mesmo médico. O acusado foi preso por estupro e responderá também pela prática de atos libidinosos.