Marginal morre em troca de tiros com Força Tática da PM

Equipes da Força Tática da Polícia Militar de Botucatu com os sargentos Domingos e Tocchio, cabos Bianconi, Gonzaga e Torrez e soldado Tuono, realizaram nesta quarta-feira uma mega operação na cidade de Laranjal Paulista que resultou na morte de um cidadão chamado Manoel da Rocha, vulgo Preto.

Segundo a PM, esse cidadão é de alta periculosidade e apontado como um dos integrantes na hierarquia de uma facção organizada do Estado de São Paulo, chamada de Primeiro Comando da capital (PCC).  Laranjal faz parte das 13 cidades da região que estão sob o comando do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), com sede em Botucatu.

A operação aconteceu na Rua Lázaro Pires, na Vila Zalla, quando os policiais fecharam o cerco sobre uma casa onde havia denúncias de estar servindo de esconderijo para guarda de entorpecente. Quando se aproximaram da casa, os policiais foram recebidos à bala. No revide Preto foi atingido. Embora tenha sido socorrido pela ambulância da Cidade, não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.

Na casa onde Preto estava havia quatro “tijolos” de maconha e um revólver Smith Wesson calibre .45. A ficha criminal desse homem é bastante significativa e consta crimes como tráfico de entorpecentes, furto, roubo, sequestro, motim em cadeia e formação de quadrilha.

A operação prosseguiu pela Rua Dona Estela, onde foram presos  Ivan Augusto Braz e Ozias Santos de Siqueira. Na casa onde a dupla estava os policiais apreenderam 82 pinos de cocaína, 108 pedras de crack, três telefones celulares e R$ 255,00. Esses presos são apontados como os chefes do tráfico na Vila Zalla.

Os dois presos foram apresentados junto a Delegacia de Polícia de Laranjal Paulista onde o Boletim de Ocorrência (BO) foi elaborado pelo delegado Francisco José Zalla Catojo, para que os criminosos fossem recolhidos ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César.