Homem mata ex-esposa e se suicida em seguida

Um caso de homicídio seguido de suicídio movimentou a pacata cidade Anhembi na manhã desta segunda-feira (4). O caso aconteceu na Rua Prefeito Pedro Simões Pires, Recanto da Figueira e foi registrado em Boletim de Ocorrência (BO) pelo delegado Geraldo Franco Pires.

Consta no relatório policial que a inspetora de alunos Edileuza Silva, de 36 anos de idade, há quatro anos estava separada do seu ex-marido, o lavrador Wellington Nogueira, de 31 anos, mas este não aceitava a separação, passou a consumir álcool e drogas em excesso e com freqüência. O casal vivia em constante desavença e, em razão disso, há quatro meses ela passou a dormir na casa de sua mãe, mas deixou todos os seus pertences na casa onde morou como Wellington e lá ia todos os dias.

Na manhã desta segunda-feira, por volta das 8h30, após passar o final de semana na casa de sua mãe, Edileuza entrou na sua casa tirou a roupa e se preparava para tomar banho quando percebeu que o ex-marido havia entrado no quarto. Ele imobilizou a mulher passou uma bermuda de naylon em torno de seu pescoço e apertou até matá-lo por asfixia. Após assassinar a ex-mulher Wellington, usando uma cadeira, subiu no guarda roupas, estourou o forro de PVC, passou uma laço de corda no pescoço, amarrou a outra ponta em um caibro de sustentação do telhado e soltou o corpo, morrendo enforcado.

Os dois corpos foram visualizados pela irmã de Edileuza, que foi até a escola onde ela trabalhava e informada de que ainda não havia chegado. Foi, então, até a casa da irmã e como ninguém atendeu, ligou para o celular, que tocou no interior da casa. Ela pulou o portão e entrou na residência que não estava com a porta trancada. Passou a procurar e chamar pela irmã e ao chegar ao quarto deparou-se com a trágica cena.

Inicialmente, ela acionou o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), acreditando que a irmã ainda estivesse viva, pois o corpo estava quente. Posteriormente, as polícias Militar, Civil e Científica, foram acionadas e os corpos resgatados e encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Botucatu.

“Entendemos que Wellington premeditou esse crime, pois conhecia o cotidiano da ex-mulher e sabia que ela estaria sozinha na casa aquela hora da manhã. Não teve dificuldade em entrar na casa para imobilizá-la e matá-la, para depois tirar sua própria vida. Também não foi detectado sinais de violência física ou sexual”, relatou o delegado. “Ele entrou na casa levando uma corda com o propósito de praticar o suicídio após assassinar a ex-esposa”, emendou o delegado.

Foto: Facebook