Emprego na construção civil encerra ano em queda e fecha 666 postos de trabalho em 2015

Dados referentes a Bauru foram divulgados pelo Sinduscon, em pareceria com a FGV

O SindusCon-SP, em parceria com a FVG-SP, divulga o balanço do emprego no setor da construção civil em 2015 no município de Bauru. Assim como no ano anterior, 2014, os números mostram queda no setor. As diferenças de estoque (empregos com carteira assinada) entre dezembro de 2014 e 2015 tiveram uma perda anual de 5%.

Só no ano passado todo (janeiro a dezembro), 666 postos de trabalho foram fechados, o que significa queda de 6,74%. No mesmo período de 2014, o panorama não foi diferente: 603 postos de trabalho fechados, baixa de 5,85%. Mesmo com novos empreendimentos sendo lançados no mercado, o SindusCon-SP ressalta que o desaquecimento do mercado é visível.

Esses dados consideram todos os efeitos sofridos durante os anos de 2014 e 2015, entre eles: encerramentos de obras e lançamentos de novos empreendimentos, bem como os cortes no quadro de funcionários e queda nas vendas finais.

O diretor regional do SindusCon-SP, Ricardo Aragão, salienta que a diferença das perdas de empregos entre os anos de 2014 e 2015 completos chega a quase 10%. “São números preocupantes que envolvem uma série de fatores, entre eles: a dificuldade de se aprovarem projetos em Bauru, mudanças na legislação, alta taxa de juros e inflação. O mercado imobiliário está cada vez mais desaquecido por conta disso”, aponta.

Região

Dentre as principais cidades que estão no raio de abrangência da Regional do SindusCon-SP, Jaú, Botucatu, Marilia, Lins e Avaré, os cenários não foram muito diferentes. Avaré (125 quilômetros de Bauru) foi o município que menos sofreu impacto, com queda de apenas 1% entre dezembro de 2014 e dezembro de 2015, um total de quatro postos de trabalho fechados.

Na sequência, vem Botucatu (100 quilômetros de Bauru), com 98 postos de trabalho encerrados neste mesmo período, o que significou perda de 2,77% no setor. Jaú (46 quilômetros de Bauru) sofreu impacto de menos 98 postos de trabalho entre dezembros de 2014 e 2015, uma variação de – 7,60%. Marília (100 quilômetros de Bauru) foi o quarto principal município deste raio de atuação que sofreu impactos no setor da construção. A perda de 408 postos de trabalho significou queda de -9,10%. Por fim, Lins (105 quilômetros de Bauru) foi a cidade que mais sentiu os impactos em perdas de postos de trabalho: menos 200 empregos e uma variação negativa de 21,09%.

(Fonte: JC Net)