Acidente na Castello Branco deixa um saldo de quatro feridos

Fotos: Wagner Harada

Um acidente envolvendo dois caminhões registrado pela Polícia Militar Rodoviária na manhã desta sexta-feira (1º de fevereiro) teve como saldo quatro homens feridos em estado grave que foram encaminhados ao Hospital das Clínicas (HC) da Unesp de Botucatu após o acidente e permaneceram internadas.

Os veículos colidiram na SP-280 Rodovia Presidente Castello Branco, pista sentido capital, nas proximidades do viaduto de saída para Botucatu, no município de Itatinga. Nesse trecho um caminhão baú frigorífero com placas da Cidade de Santa Cruz do Rio Pardo (sentido a São Paulo), transportando carne, colidiu contra a traseira de outro veículo com uma carga de produtos de limpeza que saía de Botucatu com destino a Cesário Lange.

O impacto da batida resultou em quatro vítimas: motorista do caminhão de carne, o condutor e dois ajudantes do veículo com produtos de limpeza. A cabine chegou a se soltar da carroceria do caminhão baú depois de bater contra um barranco.

A ocorrência foi atendida pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros de Botucatu que teve dificuldade em tirar o motorista que ficou preso nas ferragens do caminhão baú. O motorista estava consciente e revelou que havia cochilado ao volante e acabou bateu na traseira do outro caminhão que tentava entrar na rodovia.

Em razão do impacto o caminhão carregado com produtos de limpeza teve um princípio de incêndio, mas as chamas foram dissipadas por motoristas que passavam pelo local, já que os bombeiros estavam a caminho do acidente. O proprietário da empresa de Botucatu fabricante dos produtos de limpeza, ressaltou que nem o caminhão, nem a carga tinham seguro e contabilizou seu prejuízos em R$ 135 mil.

As 12 toneladas de produtos de limpeza ficaram espalhadas pela pista que ficou parcialmente interditada por mais de quatro horas na altura do quilômetro 210. Funcionários da concessionária que administra a Castello Branco jogaram pó de serra para evitar que o asfalto ficasse escorregadio. A Polícia Técnica Científica de Botucatu também esteve no local para elaborar o laudo pericial.