“Cachorrão” é preso com pasta base de cocaína e maconha

A Polícia Civil de São Manuel, através de uma operação desencadeada pelo Setor de Investigações Gerais (SIG), depois de um trabalho de observação feito nos últimos 30 dias, realizou a prisão de um cidadão conhecido como “Cão ou Cachorrão”, que estaria usando o nome falso e seria procurado da Justiça. O flagrante teve início por volta das 14h30 desta terça-feira (28) e se encerrou na madrugada de quarta-feira (29), com o recolhimento do acusado ? Cadeia Pública daquela Cidade.

O Serviço de Inteligência soube que “Cachorrão” estaria chegando a São Manuel em um VW Gol preto com placas de São Manuel trazendo droga e fez campana nas imediações do pedágio da Cidade de Areiópolis, nas proximidades do km 285 da SP-300, Rodovia Marechal Rondon.

Na rodovia os policiais interceptaram o carro suspeito e na revista interna localizaram um “tijolo” de pasta base de cocaína pesando, aproximadamente, um quilo e avaliado em R$ 15 mil. Essa droga depois de batizada (com a adição de outros produtos para aumentar o lucro) poderia dobrar o peso para dois quilos e se transformar em cerca de 6 mil porções para venda direta ao usuário.

Como os policiais tinham informações de que “Cachorrão” também estaria guardando maconha, deslocaram-se até uma casa na Cidade de Agudos e fizeram uma revista geral, porém nada foi encontrado. No retorno a São Manuel, os investigadores detectaram, através de informações anônimas, que a droga poderia estar sendo guardada em uma casa na Vila São Geraldo, em São Manuel e para lá se dirigiram. Nesta casa havia, aproximadamente, três quilos de maconha.

Vale lembrar que quando foi preso “Cachorrão”, tentou ludibriar a polícia dizendo que se chamava Edson, depois mudou o nome para Fernando. Num terceiro questionamento diz que se chamava Leonaldo Duarte e teria 45 anos. O delegado José Mário Toniato entende que nenhum desses nomes seja verdadeiro, nem a idade que ele apresentou. “Tiramos suas impressões digitais e encaminhamos a um departamento especializado da Polícia Civil, em São Paulo, para fazer a legitimação. Acreditamos que esse cidadão é procurado da Justiça por crime de homicídio. O resultado deverá estar pronto nas próximas horas para que sua verdadeira identidade seja conhecida”, previu Toniato.

O indiciado, assim como todo o montante da droga apreendida, foi encaminhado ? Delegacia de Polícia de São Manuel, onde o delegado elaborou o Boletim de Ocorrência (BO) de fragrante de tráfico de entorpecentes. A droga foi apreendida para futura destruição e “Cachorrão” foi recolhido ? cadeia e no caso de uma condenação poderá pegar uma pena que varia de 5 a 15 anos de reclusão.