Vereadores vistoriam obras na Praça Rubião Jr

Na manhã desta sexta-feira (7), a convite do vice-prefeito, professor Antônio Luis Caldas Júnior, prefeito em exercício, os vereadores Ednei Carreira (presidente da Câmara Municipal ), Rose Ielo (PT), João Elias (SDD), Lelo Pagani (PT) Luiz Fontes – Fontão estiveram visitando as obras de reforma da Praça Rubião Júnior, ao lado da Prefeitura Municipal. Além dos vereadores acompanharam a visita o historiador João Carlos Figueiroa, três secretários municipais e os responsáveis pelo projeto de reforma da praça o arquiteto José Carlos e o engenheiro Júlio Montanha.

Referidas obras têm sido questionadas por alguns munícipes e o Executivo achou melhor fornecer algumas informações aos vereadores para esclarecer o assunto, principalmente no que se refere a retirada do piso português que fazia parte do visual da praça. “As obras que estamos realizando não são de restauração e sim de reforma. O piso português que havia na praça foi retirado para a colocação de um piso chamado “intertravado” que além de ser prático, permite que obras de manutenção e infraestrutura sejam realizadas sem a necessidade de quebra do piso, além do fato de que possibilitam a implantação de dispositivos de acessibilidade”, informou o vice-prefeito.

Caldas ainda alertou os vereadores que a Praça Rubião Júnior estava muito danificada e necessitava de uma ampla reforma. “Contamos aqui com a ajuda do historiador João Carlos Figueiroa para um levantamento histórico da praça que, segundo dados, foi inaugurada em 1916. De lá para cá, a praça sofreu muitas intervenções e seus caminhos e piso e até calçadas se encontravam muito danificados até mesmo por conta das extensas raízes das árvores. A praça necessitava de uma reforma. Fora o piso os caminhos originais da praça serão conservados e estão sendo realizados diversos melhoramentos nas partes hidráulica e elétrica da localidade”, destaca.

Os vereadores presentes fizeram diversos questionamentos ao vice-prefeito que também ressaltou que o projeto de reforma da praça foi aprovado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) que não se opôs a realização dos trabalhos. “Com relação a questionamentos sobre a colocação de tapumes ao redor da praça, a Prefeitura fez tal ação com o intuito de proteger os munícipes que circulam ao redor como demanda qualquer obra a ser realizada na cidade”, explicou.