Vereadores trocam acusações com um expectador em plenário

A sessão ordinária da última segunda-feira foi marcada por uma discussão em plenário do vereador Professor Nenê (PSB) com o professor Silvio Prearo. Ambos já vinham trocando farpas há algum tempo e na sessão da Câmara, quando Nenê usava a tribuna para fazer seu pronunciamento no Grande Expediente foi interrompido por Prearo que passou a discordar da oratória do vereador do PSB, pois se sentiu atingido.

Ambos passaram a discutir de forma acalorada (um na tribuna e outro no auditório) fazendo com que presidente da Casa interrompesse a sessão e ameaçasse chamar Polícia Militar (PM) para retirar Prearo do plenário para que os ânimos fossem controlados. Depois outra discussão foi registrada. Desta feita entre Prearo e o vereador Abelardo (PV), que saiu em defesa do seu colega de plenário.

A discussão entre os vereadores e Prearo foi parar no coquetel da AG Fest que estava anunciando oficialmente mais um CarnaBotuca na cidade. Os vereadores ao término da sessão compareceram para prestigiar o evento. Nenê e Abelardo circulando entre os presentes falavam sobre o ocorrido e procuraram explicar as razões que os levaram a discutir com Prearo.

Também outros vereadores como Fontão (PSDB), professor Gamito (PT), Xê (PSDB), Curumim (PSDB), Lelo Pagani (PT) e Carlos Trigo (PT) estiveram presentes no coquetel realizado no salão da empresa Prodive. “Foi um show, desses que a gente só vê pela televisão. Por muito pouco os envolvidos não entraram em vias de fato. Faltou pouco mesmo”, disse um dos vereadores ao jornal Acontece, que estava fazendo a cobertura do CarnaBotuca.

Depois da discussão, o presidente colocou em votação os três projetos de lei, todos assinados pelo prefeito João Cury Neto. Sem maiores discussões, os projetos foram aprovados pela unanimidade dos 11 vereadores que compõem o legislativo botucatuense.

O primeiro Projeto de Lei aprovado foi o de nº 073/2010 – que solicitava autorização legislativa para abertura de crédito adicional suplementar até o limite de R$ 791.940,15 (setecentos e noventa e um mil, novecentos e quarenta reais e quinze centavos), para a construção de escola de educação básica no loteamento denominado Cambuí.

Depois foi aprovado o Projeto de Lei nº 074/2010 para abertura de crédito adicional suplementar até o limite de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais), para cobrir despesas até o final do exercício do contrato de Gestão entre o Município e a Fundação UNI, bem como para manutenção das Unidades de Saúde com a aquisição de medicamentos.

Encerrando as votações da sessão ordinária, os vereadores aprovaram o Projeto de Lei nº 075/2010 – que abre crédito adicional suplementar até o limite de R$ 10.000,00 (dez mil reais) para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento.