Vereadores adiam votação dos salários dos servidores

Fotos: Luiz Fernando

Na noite desta segunda-feira (17) um grande número de servidores esteve presente na Câmara Municipal para acompanhar a sessão extraordinária convocada pelo presidente Ednei Carreira para votação de cinco projetos de lei de autoria do Executivo referentes ao reajuste salarial do funcionalismo municipal.

O percentual de reajuste proposto pela Prefeitura para 2013 foi um aumento de 2% sobre os atuais salários e mais R$ 20,00 sobre o valor do vale compras alimentos, que passaria de R$ 430,00 para R$ 450,00. No documento encaminhado ao sindicato o Poder Público justificou a proposta alegando que foi baseada na arrecadação municipal que segundo a Secretaria da Fazenda vem caindo dia após dia e que o cumprimento orçamentário deve ser mantido visando não ocasionar problemas financeiros no futuro como atraso de pagamentos e déficit orçamentário nas secretarias da Administração e da Fazenda.

Para que os debates fossem iniciados o vereador Izaias Colino (PSDB) pediu a supressão do Grande Expediente e a vereadora Rose Ielo (PT) sugeriu que um tempo de 20 minutos fosse dado ao presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sispumb), José Manuel Leme, o Mané para que pudesse falar em nome dos servidores. Ambos os pedidos foram aceitos.

Na tribuna, Mané depois de fazer uma explanação geral da situação dos servidores e a comparação sobre a reivindicação do sindicato com o percentual oferecido pela Prefeitura, apelou para que os vereadores votassem contra a proposta do Executivo. “A proposta sequer cobre o índice inflacionário do período que foi de 6,94%. Consideramos a reposição proposta uma atitude de desrespeito e desvalorização profissional para com a categoria. Por isso estamos pedindo o apoio dos senhores (vereadores)”, colocou Mané.

Após o pronunciamento do sindicalista a sessão foi suspensa por 10 minutos a pedido do vereador André Rogério Barbosa – Curumim, líder da bancada do PSDB no legislativo. No retorno dos trabalhos o próprio vereador Curumim fez uso da palavra e pediu vistas ao projeto (adiamento). Com isso a votação foi encerrada e deverá voltar a ser discutida na sessão de segunda-feira da semana que vem, ou seja, dia 24.

“Entendi que o pedido de vistas foi a melhor solução para tentarmos dialogar com o prefeito e ver se é possível melhorar a proposta. Teremos uma semana fazer isso. O adiamento não significa que iremos reverter a situação, mas não deixa de ser uma tentativa de diálogo já que os vereadores em nenhum momento foram convidados para discutir o reajuste com o sindicato”, frisou Curumim.