Vereador visita obras do Centro Paradesportivo

Acompanhado pelo secretário municipal de Esportes e Lazer, Antonio Carlos Pereira e pelo engenheiro responsável pela obra, Sandro Samaritano, integrante a empresa 2N de São Paulo. o vereador Carlos Trigo esteve visitando as obras do Centro Paradesportivo que está sendo construído em ampla área atrás do Ginásio Municipal “Dr. Mário Covas Filho”.

O secretário e o engenheiro relataram ao vereador que na área atrás do ginásio haverá piscina aquecida de 25 metros, hidroterapia e fisioterapia e também um centro de tecnologia para inclusão digital contando com dispositivos como “Acessa São Paulo” e oficinas de informática e orientação profissional.

“Serão cerca de 3.600 m2 de área a ser construída que contará com diversos dispositivos esportivos e de informática para atender as pessoas com deficiência não somente de Botucatu, mas também de nossa região. É uma obra de extrema relevância”, destaca Pereira. “Os trabalhos estão previstos para durarem cerca de 8 meses e em todos os setores do Centro Paradesportivo e do Centro de Tecnologia de inclusão digital serão respeitados todas as normas exigidas pela lei de acessibilidade”, acrescenta Samaritano.

O secretário Municipal de Esportes afirmou que a obra conta com verba do Governo Estadual e a administração irá, ainda, buscar verba federal para construir também na área, em uma 2ª etapa, um ginásio coberto adaptado. Trigo afirmou que faz questão de acompanhar todas as etapas da obra que será importante para beneficiar as pessoas com deficiência.

“As pessoas com deficiência necessitam de um local adequado para prática de esportes e acredito que o Centro Paradesportivo e o Centro Tecnológico que serão construídos atrás do ginásio será de extrema relevância para esse segmento da sociedade. Independente de partido político o que temos que priorizar é o bem estar da população e das pessoas com deficiência. O importante é que estamos nos desenvolvendo nessa área, será uma obra excelente e, com certeza, irei acompanhar todas as etapas”, ressalta Trigo.