Vereador tucano esteve em jornada sobre trabalho legislativo

O vereador Izaias Colino (PSDB) esteve na cidade de São Paulo para participar da “Jornada Municipal- Legislativo – Desafios do Exercício e suas competências”, curso de capacitação realizado pelo Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal (CEPAM).

O evento teve a participação de vereadores de todo o Estado de São Paulo e, durante todo o dia, ofereceu palestras sobre a estrutura constitucional dos poderes, políticas públicas locais, planejamento de receitas, processo legislativo, direito a subsídios, planejamento e controle orçamentário, entre outros assuntos.

Parlamentar afirma que a jornada foi extremamente positiva e proveitosa. “É sempre importante que o vereador se recicle, se mantenha atualizado em todas as matérias que envolvem nossa atuação. Quanto mais estivermos atualizados e angariarmos conhecimentos sobre pareceres, planejamentos e elaboração de leis, mais poderemos colaborar com o desenvolvimento de nosso município e mais benefícios poderemos conquistar para a população”, destaca o vereador que conheceu, na ocasião, o presidente do CEPAM, o ex-deputado federal e estadual Lobbe Neto (foto).

O CEPAM é uma fundação do Governo do Estado de São Paulo, vinculada ? Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional, que apóia municípios no aprimoramento da gestão e no desenvolvimento de Políticas Públicas. O Centro ainda orienta os administradores municipais por meio de pareceres técnicos e jurídicos. Produz conhecimento e oferece cursos de capacitação e aperfeiçoamento aos agentes públicos.

{n}Sistema “disque buraco”{/n}

Colino também é autor de um requerimento aprovado na Câmara Municipal que sugere a criação de um sistema de comunicação chamado “disque buraco”. Explica que durante o mês de janeiro uma grande quantidade de chuvas atingiu a cidade e seja por conta disso ou outros motivos o asfalto acabou cedendo criando buracos.

“Embora exista um trabalho direcionado a esse setor, muitos destes buracos acabam não chegando ao conhecimento do Executivo e o “disque buraco” funcionaria como um canal de comunicação. O munícipe telefona para a prefeitura e solicita que o buraco informado seja “tapado” com a maior celeridade possível. Acredito que isso possa funcionar”, justificou Colino.